segunda-feira, 13 de outubro de 2014

13/10- No Bra Day

Hoje é uma data muito especial. Dia 13 de outubro "comemora-se" o NO BRA DAY. A intenção da campanha é chamar atenção para o risco do câncer de mama encorajando as mulheres a libertarem seus seios em apoio ao mês de combate ao câncer de mama.


O Câncer de mama é a segunda maior causa de morte entre as mulheres nos Estados Unidos. Apesar dos grandes avanços no tratamento, a causa ainda é desconhecida. De acordo com o National Cancer Institute, mais de 230 mil mulheres serão diagnosticadas com câncer durante este ano, e 40 mil morrerão. O diagnóstico precoce através do autoexame e de mamografias ainda é a melhor forma de se tratar e aumentar as chances de cura.

A campanha obviamente gera muita polêmica. Há quem diga que objetifica, há quem diga que a exposição de seios não apoia em nada quem tem ou teve o câncer de mama. Concordo com as reclamações, mas acho inegável que a data pode chamar mais atenção que o normal para os seios em si - como se eles não chamassem atenção o suficiente normalmente... Fazer homens e mulheres pensarem sobre seios, durante o outubro rosa, pode sim trazer à tona a importância do autoexame e uma série de outras questões relevantes.


Na verdade, eu encontrei uma certa divergência de datas. Alguns sites diziam que o No Bra Day seria dia 9 de junho, mas... como peitos nunca são demais, eu voto por adotarmos as duas datas, ainda mais quando a causa é nobre. Então entre na campanha. Postem fotos nas suas redes sociais sem o famigerado sutiã, saiam às ruas com as "garotas" livres e, principalmente, conversem sobre o assunto. Cada pessoa alertada pode ser uma vida salva.




E, pra concluir, confiram este belo ensaio fotográfico sobre mulheres que tiveram câncer de mama.

sábado, 11 de outubro de 2014

Métodos alternativos para abrir uma garrafa de vinho

Uma dionisíaca se deparou com um sério problema e procurou a SD em busca de uma solução...

"Amigos, preciso de ajuda!!! Estou com uma garrafa de vinho gelada em mãos e não consigo abri-la. Preciso de ajuda com ideias."

Isso é algo muito preocupante e pode acontecer com qualquer um de nós. O ideal é sempre ter um saca-rolhas de duas fases à mão. Ele é o único que junta muito bem três importantes características: portabilidade, praticidade e eficiência. Se por algum motivo você não tiver um saca-rolhas à mão ou se, como a minha amiga, der algum problema e a rolha não sair, existem algumas coisas que podem ser tentadas. Encontrei algumas interessantes gambiarras no Manual do Homem Moderno:

Método Teen - O mais comum é empurrar a rolha pra dentro. Provavelmente todo mundo já tentou isso aos seus dezoito anos pra beber vinho na rua de madrugada.



Além do esforço sobrenatural, jogar a rolha de cortiça no meio do vinho estraga completamente o sabor.

Método Russo - Na Rússia Soviética, você não abre a garrafa, a garrafa abre você. Consiste em encaixar a parte de baixo da garrafa na abertura de um sapato e bater com a sola do sapato em uma parede, fazendo com que a pressão empurre a rolha pra fora. Nunca funcionou comigo. Variações dessa técnica podem incluir proteger o fundo da garrafa com um pano.



Esse método acaba misturando a borra ao vinho, então também não recomendo.

Método McGywer - Esse daqui eu achei o mais criativo. Você vai precisar de:
- parafuso
- chave de fenda
- martelo
- tesoura sem ponta
- a supervisão de um adulto



O prego acaba perfurando demais a rolha e cai farelo no vinho.

Método Chuck Norris - Esse é pra quem exala virilidade.



Estraga completamente o vinho, mas você acabou de usar uma furadeira pra abrir a garrafa.

Conhece algum método alternativo além dos listados acima? Deixe um comentário e ajude outros leitores a se embebedarem em qualquer lugar.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Clube do Vinho

Começa hoje às 20h, no Espaço Telezoom, em Humaitá, o Clube do Vinho. A iniciativa do consultor enogastronômico Lauro Carvalho tem por objetivo "tirar a gravata do vinho", ou seja, proporcionar um ambiente de degustação e aprendizado informal e descontraído, livre da seriedade que tanto afasta os iniciantes.


Foi essa a proposta que me levou a conhecer o Clube do Vinho em 2010 e tomar gosto pela coisa. Você aprende todas as técnicas de degustação enquanto conversa sobre filosofia, política, sexo e qualquer outra besteira pertinente a uma roda de amigos.

A versão atual permite que os participantes possam frequentar um, dois ou quatro encontros por mês. São sempre dois ou mais vinhos acompanhados de ficha técnica, além de comidinhas e muita informação harmonizada com bate-papo.

Para mais informações, clique aqui.

CLUBE DO VINHO

com Lauro Carvalho
Início: 30 SET
Terças, das 20h às 22h

Telezoom Humaitá
Rua Mário de Andrade, 48
Largo dos Leões

Investimento:
Mensal: R$280,00 (4 encontros por mês)
Quinzenal: R$ 170,00 (2 encontros por mês)
1 encontro por mês: R$ 95,00
Trimestral: R$ 714,00 (15% de desconto)
Pagamento em dinheiro, cheque e débito.

Inscrições através do e-mail espaco@telezoom.com.br ou pelos telefones: (21) 3497-7620/ (21) 3497-7621

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Tango Subaquático

Linda série de fotografias de um casal bailando embaixo d'água. Ensaio feito pela fotógrafa russa Katerina Bodrunova.

Bodrunova tem apenas 29 anos e já venceu importantes prêmios, como o Prix de la Photographie, Paris (PX3) (2011), e o Pollux Awards 2011 (Londres), entre outros.

Os trabalhos da fotógrafa desafiam a física convencional, retratando pessoas como objetos sem peso capazes de transcender tempo e espaço. Segundo Bodrunova, "o fotógrafo não se sente definido pela realidade, ao contrário, gosta de criar seu próprio universo, desprendendo-se das regras do mundo natural".

O resultado são as lindas fotografias lúdicas que você confere abaixo.

Para visitar o site da artista e conferir mais dos seus trabalhos, clique aqui.



sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Rio Wine and Food Festival 2014

Cancelem todos os seus compromissos para semana que vem! De 15 a 21 de setembro, o Rio sedia mais uma edição do Rio Wine and Food Festival. O projeto tem como objetivo impactar o carioca e atrair visitantes para cidade através do vinho e da gastronomia. O festival acontecerá em vários locais da cidade, passando desde a zona sul, o centro até a zona oeste. Dos salões do Copacabana Palace aos botecos da Lapa, da gastronomia francesa a pizza, passando pela brasileiríssima feijoada, com os petiscos de boteco, sempre acompanhada de bons vinhos, sejam nacionais ou importados.

"Este será um festival antenado, para um público de bem com a vida, que busca na gastronomia, nos vinhos e em algumas bebidas especiais, os prazeres da vida."

Feira de Vinhos

Grande Prova de Vinhos do Brasil
O Rio de Janeiro será o cenário para um dos mais importantes eventos da indústria do vinho brasileiro: A Grande Prova Vinhos do Brasil, uma degustação às cegas, com uma equipe de jurados altamente qualificados e com curadoria do expert Marcelo Copello, que presidirá o concurso.

Detalhes sobre esse evento ainda estão envoltos em uma aura de mistério. Creio que serão divulgados no início do festival.

Rio Rolha Zero
Durante a semana do evento os restaurantes participantes não cobrarão a taxa de rolha, já conta com nomes de peso, todos motivados pela ideia de incentivar o consumo moderado de vinhos, que a cada dia esta mais associado à saúde e ao bem viver.

Confira a lista de restaurantes participantes.

Agenda
A programação deste ano está bem variada. Tem feira de vinhos, degustação de vinhos raros, seminário sobre o mercado de vinhos e muito mais. Alguns eventos são pagos, mas tem as atividades gratuitas também. Confira a programação e me convide!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Jogos Teatrais

Tentando (mais uma vez) retomar o blog, encontrei no vídeo abaixo uma excelente desculpa para fazê-lo. O vídeo, feito pelo amigo, dionisíaco E aniversariante do dia Joriam Philipe, fala sobre como o teatro se utiliza da mecânica dos jogos para preparar o ator. Bem interessante conhecer o processo e até pensar em formas de usar isso no dia a dia.


Não esqueçam de seguir o canal Taverna Produções e de compartilhar o vídeo com os amiguinhos.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Que vinho eu compro?

Ontem uma amiga veio me pedir dica de vinho para acompanhar uma massa. Dei a ela a única resposta honesta que se pode dar a esse tipo de pergunta: depende. Depende de um monte de coisas. No caso dela, era um jantar romântico, com massa ao molho bolonhesa.


Quando se trata da escolha de um vinho, existe uma série de fatores que devem ser considerados. Não espere uma resposta simples. É como escolher um celular: você precisa pensar no uso que fará dele, quanta memória será necessária, se é preciso uma câmera boa, se prefere teclado na tela ou daqueles teclados físicos, pesar a qualidade gráfica, pensar no tamanho da tela e, por fim, escolher o modelo mais bonitinho e dentro do seu orçamento.

Com vinhos é a mesma coisa. TUDO influencia a apreciação da bebida. E como é uma bebida em que a beleza reside nas sutilezas, é bom levar em conta essas influências na hora de fazer sua escolha. Vejamos o que é preciso considerar:

Quem vai beber?
Todo mundo sabe que gosto é que nem cu. Não espere que o meu vinho favorito seja mesmo que o seu. Alguns paladares pedem vinhos mais encorpados, outros pedem vinhos mais leves. Conhecer o gosto da pessoa é um adianto.

Qual a previsão do tempo?
Se preocupar com a previsão do tempo pode ser um pouco exagerado, mas vinho e temperatura precisam estar em harmonia. Vinhos brancos devem ser bebidos preferencialmente entre 14 e 16º e vinhos tintos por volta dos 18º. Então eu sugiro que reserve os tintos para os dias mais frios e beba um branco ou um espumante bem gelado nos dias quentes.

Quanto você quer gastar?
Como quase tudo nesse nosso mundinho capitalista tão amado, o valor do vinho costuma estar ligado à sua qualidade. Existem exceções, é claro, mas não espere comprar um pérgola por 14 reais e ter o mesmo prazer de um amarone comprado por 200. Contudo, existem sim bons vinhos na faixa dos 30 reais, às vezes até menos. Depende de onde se compre.

Onde você vai comprar?
Diferente das cervejas mais populares, nem todo vinho se encontra em toda parte. Não adianta alguém te recomendar um vinho específico se o mercado em que você vai dificilmente vai ter esse vinho em estoque. Costumamos recomendar vinhos pela uva (que indica algumas características) e pelo país (que costuma ser um indicador de estilo), mas nem isso é garantia de precisão. Um mesmo país pode ter vinhos muito diferentes, mesmo que sejam feitos com o mesmo tipo de uva.

Existem também as lojas especializadas. Sai mais em conta e os funcionários costumam levar tudo que eu tô dizendo aqui na hora de te recomendar um vinho, te poupando um baita trabalho. Pra quem é do Rio, recomendo a Serrado, que é parceira da SD.

Qual a ocasião?
Um jantar romântico? Uma degustação informal com os amigos pra conhecer vinhos novos? Um vinho para acompanhar uma sessão de filmes? Uma tarde na piscina? Isso vai fazer diferença não só no tipo de vinho, mas no valor a ser investido.

As regras acima não valem sempre, mas facilitam muito a nossa vida.
E a harmonização?
Não sei se esse seria o último fator a ser considerado, nem sei se existe uma ordem pra isso. Mas é importantíssimo escolher o vinho certo para cada prato. Certos vinhos desaparecem e outros fazem a comida desaparecer. O ideal é que um ressalte características do outro, formando um novo e mágico terceiro sabor. Pra isso existem algumas regrinhas...

A regra de ouro é vinhos leves para pratos de sabor leve e vinhos complexos para pratos de sabor mais intenso, mas isso não basta e mesmo essa regra não vale sempre. Esse é um assunto complexo demais pra um post que já extrapolou o tamanho ideal (a imagem no começo do post ajuda). Vou linkar aqui os sites que eu encontrei ao tentar ajudar minha amiga.

http://www.academiadovinho.com.br/convivio/harmoniz.htm
http://www.hagah.com.br/especial/rs/gastronomia-rs/19,980,3286719,Guia-dos-vinhos-para-iniciantes-o-que-voce-precisa-saber-para-degustar-e-entender.html
http://www.lavioletera.com.br/blog/o-vinho-ideal-para-a-sua-massa/

Depois de considerar tooooodos esses fatores, eu recomendei que a minha amiga comprasse um vínho de corpo médio, tendendo pra algo mais complexo. Sugeri um cabernet sauvignon, merlot ou malbec, de preferência da Argentina ou do Chile. São fáceis de se achar, baratos e costumam atender às características desejadas. Ela acabou comprando um Concha Y Toro Reservado Cabernet Sauvignon. Eis o que ela me disse hoje a respeito do jantar:

"legal... minha massa ficou ótima e o vinho combinou perfeitamente (...) a conversa que tivemos é que não foi boa.. mas enfim..deixa isso pra lá"

Só espero que não tenha sido culpa do vinho.