sábado, 4 de agosto de 2018

Um outro olhar sobre o BDSM

Confira abaixo o ensaio feito pelo fotógrafo alemão Max Eicke, que passou três anos registrando dominatrixes profissionais para o projeto Domina.



Em entrevista para o Independent, o artista comentou que a ideia do projeto surgiu após conversar com uma desconhecida em uma viagem de avião que revelou ser dominatrix. Ele ficou fascinado pela cena e decidiu documentá-la de forma "humana", em oposição à típica abordagem estereotipada que se vê na mídia.

Ao longo dos três anos de pesquisa e entrevista, Eicke aprendeu sobre como o BDSM é erroneamente visto como apenas violento, deixando pouco espaço para romance, emoções ou amor.


"É inimaginável para muitas pessoas que o BDSM seja baseado em consentimento mútuo e que dor com prazer exige uma parcela significativa de honestidade e comunicação", ele afirma. "Conversando com tantas pessoas da comunidade BDSM e fetichista, eu realmente fiquei com a impressão que dentro da cena existe frequentemente mais respeito pelo outro, mais conhecimento sobre sexo seguro e um nível maior de abertura e confiança que em muitos relacionamentos convencionais."


O livro Domina está à venda pelo da Hive, que entrega no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário