quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O Cortejo

Na falta de criatividade, lembrei que tinha uma coisa interessante [Será?] pra postar. Um poema que escrevi pra Bacchanalia de carnaval de 2008. Digam o que acharam. Se algum louco (lembrando que a loucura é atributo dionisíaco) gostar, talvez eu me empolgue pra escrever outros. E queria lembrar que podem mandar obras suas por e-mail que eu publico aqui sem nem selecionar. g.willvaz@gmail.com

O CORTEJO

Saúdem Baco, deus do vinho!
Deus do êxtase e do entusiasmo!
Mênades abrem caminho,
Pondo fim a todo o marasmo!

Rei das festas, Senhor da alegria,
Da arte (e) da orgia!
Da santa à vadia,
Sigamos todos a cantoria!

Puxam o carro seis panteras!
Seguem o carro eles e elas:
Homens libidinosos!
Fêmeas loucas e belas!

Mas onde vem ele?
O homenageado?
O reverenciado?
O adorado,
Louvado e cultuado
Deus Baco?

Pois eu lhes digo:
Baco vem comigo!
Mas também contigo,
Contigo e contigo!

Baco vem no tirso!
Vem no sorriso!
Vem no sexo!
E na falta de nexo!
Ele vem na liberdade!
Ele vem na igualdade!
Na promiscuidade...
Está na harmonia
Que nasce da desarmonia!
Na fantasia!
Na poesia!
No ar que inebria!
No som que contagia!
No calor!
No tambor!
No torpor!

Sabem como é...
A tudo isso e muito mais,
EVOÉ!

Um comentário:

  1. Valeuu pela presença uaii,e por ter respondido a enquete,acho show aqui,beijos.

    ResponderExcluir