segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Susan Storm curtindo um bom vinho depos do banho

Só com a toalha enrolada na cintura. Coisa bonita de se ver.

Filmes Pornôs Brasileiros: Por que são tão ruins ?




Nenhum enredo, continuações infinitas (tipo Conexão Anal 28, 29, 30... ), 4 ou 5 cenas, sub-celebridades decadentes e prostitutas de luxo.

Essa é a formula do cinema pornô brasileiro.

http://3.bp.blogspot.com/_boQCIFVXRmg/TPgdr_ux04I/AAAAAAAAAcM/fxUnPVA8rwI/s1600/porn%25C3%25B4.JPG
São filmes com orçamentos ridículos, atrizes e atores pornôs que aparecem em vários filmes e um infeliz que ainda tem a cara de pau de assinar a direção desses tipo de filmes. Percebam que não passam de 5 os "diretores" dessas produções.

Não é de se estranhar que este mercado tenha perdido terreno com a pirataria na internet e para produções caseiras. O comodismo de não se fazer uma história minimamente plausivel para se acontecer uma relação sexual leva qualquer um com uma câmera fazer o mesmo que esses "diretores".

O pornô nacional deveria investir em histórias que levassem o telespectador a se imaginar na cena ou pelo menos se sentir envolvido pela trama. Não precisa ter textos e idéias geniais de roteiro, apenas um pretexto para que o desejo sexual de quem assiste seja aguçado.

Quem nunca ficou horas a fio na adolescência esperando começar o Cine Prive? Aparecia no máximo uns seios e algumas bundas, mas a trama, por mais imbecil que fosse, te deixava excitado pelo simples fato de se ter uma expectativa quanto ao que iria acontecer .

Produções americanas adoram fazer versões pornôs satirizadas de histórias famosas como Avatar, Crepúsculo, Rebelde (esse eu vi!), Matrix (tambem já vi, se chamava Metrix hehe), Dexter, ... já é um começo.

Li uma entrevista de um cara que não lembro o nome, que queria ser escritor/roteirista de filmes pornôs. Ele tinha idéias de sexo com alienígena e o cacete a quatro, mas não deixava de ser interessante. É um mercado que deveria se abrir no Brasil.

Aposto que um filme com um enredo manjado (igual alguns filmes americanos) como o carro da garota quebra, o cara ajuda e eles começam a transar venderia e seria bem mais excitante do que ver a Gretchen transando com um cara com uma camisa super transada e que parece o Moe dos Três Patetas.
Se for para não ter enredo, eu produzo minha própria pornografia, porra!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Enquanto isso, no Japão...

A boa do fim de semana é conhecer o campo

Que tal passar um tempo longe do caos da cidade grande? Conhecer o campo e os afazeres de lá. As oficinas, a grama, o feno, o ar puro, as mulheres peladas... Aiai! Adoro!











Masturbação infantil PORRA NENHUMA!

Vídeo produzido pelo governo da Bélgica de esclarecimentos sobre a masturbação para crianças nas escolas. A animação faz parte de uma série montada especialmente para o programa de educação sexual infantil belga.






Ah... a infância de hoje é bem mais divertida que a dos anos 90!

Este post foi publicado pela Anna na quinta-feira. Infelizmente, as informações contidas nele (retiradas da página do vídeo no youtube) não correspondem à verdade. Quem nos alertou foi o MacGyver (Anderson Lima) nos comentários.

O vídeo é, na verdade, parte de um programa belga de humor chamado Neveneffecten. Pra ser mais exato, faz parte do episódio 5 da segunda temporada, exibida em 2008. O episódio se chama The Making Of, e parece que foi o último a ser exibido. Quem quiser assistir à primeira parte deste episídio, é só clicar aqui (as partes 2, 3 e 4 estão nos vídeos relacionados).

Todos estamos sujeitos a acreditarmos em inverdades que encontramos na internet. Vamos tentar apurar melhor daqui pra frente.

Por outro lado, podemos pensar que, se tanta gente acreditou que o vídeo realmente foi feito pelo governo da Bélgica para o programa de educação sexual infantil, poderia muito bem ter sido feito pra isso. Se a mentira não parece absurda, é porque ela seria uma verdade provável.

Por que não exibir vídeos nesse estilo para educar as crianças? Quais seriam as vantagens e desvantagens de uma educação sexual mais honesta?
Ass.: Will

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Post Messias #57

Hoje é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, segundo o oráculo. Vamos então ilustrar o Post Messias desta semana com algumas referências à escravidão. As imagens são links pra páginas que as explicam.


[ÁLCOOL]
Imagem: Otimismo
Imagens: Regina Deutinger e cerveja
Vídeo: Quando os homens choram
Curso: Quer aprender mais sobre vinho?
Vídeo: Conheça o mais rápido bebedor de cerveja do mundo
Vídeo: Uma aula de vinhos italianos com a Adriana Grasso

[ARTE]
Poesia: De cabeça pra baixo
Imagens: Pinturas de Caravaggio
Artigo: Hinos a um amor perdido
Artigo: Lápis Vs Fotografia
Imagens: HQs imitando capas de discos famosos
Vídeo: Dubai Fountain
Artigo: Raging Bull, uma tensa biografia cinematográfica
Vídeo: Smooth Criminal no Violoncello
Artigo: E se as notas de dólar fossem assim?
Vídeo: Sampled Room
Artigo: A beleza no grotesco de Matthias Seifarth
Imagens e vídeo: Fire with fire
Imagens: Bolinha de tênis
Crítica: Closer - Perto demais

[SEXO]
Artigo: Pornô alternativo
Imagem: A evolução dos biquinis
Artigo: De onde vêm os bebês?
Imagem: Alice e o País das Maravilhas
Imagens: Sexo interracial
Imagem: Poketetas
Notícia: Vem aí a HOTFAIR 2ª edição!
Imagem: Sexo grátis em oficina mecânica?
Gif: Desvende rapido as palavras abaixo
Texto: Especialista em medicina sexual fala da vida sexual do brasileiro
Texto: Conheça o sexo ecológico
Imagem: Putaria no Notícia Cretina!!!
Vídeo: Mortal Kombat Sexy
Texto: O mundo do striptease
Texto: As vantagens de não fazer sexo

[OUTROS]
Vídeo: Não julgue
Artigo: Ser ridículo em público
Texto: O assunto não é você
Texto: Causa Mortis: Incompetência
Tirinha: Pior pai do mundo
Quadrinho: A aposta de Pascal


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A melhor forma de combater a ressaca

A ciência descobriu a melhor receita caseira para se livrar da ressaca: café e aspirina. A cafeína e os ingredientes anti-inflamatórios da aspirina reagem ao etanol, que causa as dores de cabeça graças a um acetato químico que ele produz no organismo.

Os créditos da descoberta vão para Michael Osinsky, cientista da Thomas Jefferson University, na Filadélfia. Ele induziu a ressaca em alguns ratinhos e depois deu a eles uma dose de cafeína com aspirina. O pesquisador percebeu que os compostos bloqueavam o acetato causador da ressaca. Segundo Osinsky, nenhum dos outros “remédios caseiros” citados comumente como remédio para ressaca teve um efeito tão satisfatório.

Há também quem diga que usar analgésicos, como a aspirina, é uma má idéia, já que eles prejudicariam um estômago que já está fragilizado pelo álcool. De qualquer forma, o café com a aspirina ainda é o remédio que produz o efeito mais imediato.

[Oráculo: Hype Science]

O que excita as mulheres?

Essa é a pergunta que eu, o blogueiro, me faço de tempos em tempos. Não há dúvida de que as coisas sexuais aqui presentes são muito mais voltadas a levar alegria aos membros do sexo masculino do que aos membros do sexo feminino. Falo isso principalmente por causa dA boa do fim de emana. Acharia muito legal poder colocar coisas que agradassem as mulheres também, mas o que?

Falando de forma generalizada, homens são seres mais visuais do que mulheres. Pra agradar um homem, é só eu botar uma foto ou um vídeo de uma buceta escancarada no post. Tá feita a alegria da garotada. Mas como eu agrado as fêmeas que lêem o blog? Uma imagem de um homem de pernas abertas não vai agradar tanto uma mulher quanto uma mulher de pernas abertas agrada um homem.

Que tipo de conteúdo deixa você, ser-humano que nasceu com uma vagina, excitada?

Perguntei pra minha amiga Prix, e ela me recomendou alguns sites. Cliquem nas imagens para degustá-los.





O que você achou dos sites? Deixe seus comentários nos... comentários. Mande também a sua recomendação!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Parafilia: Muito Além da Perversão - Parte II

http://1.bp.blogspot.com/_boQCIFVXRmg/TP5StUWz6lI/AAAAAAAAAd8/lucAKhBbfeo/s1600/parafilias%2Bcomuns.png
Continuando a série (veja a Parte I), agora vamos abordar as parafilias comuns. As mais praticadas e, até certo ponto, socialmente aceitas.


Voyeurismo é a atração sexual por observar indivíduos, geralmente estranhos, sem suspeitar que estão sendo observados, que estão nus, a se despirem ou em atividade sexual. O ato de observar ("espiar") serve à finalidade de obter excitação sexual, e geralmente não é tentada qualquer atividade sexual com a pessoa observada.

O orgasmo, em geral produzido pela masturbação, pode ocorrer durante o Voyeurismo ou mais tarde, em resposta à recordação do que o indivíduo testemunhou. Freqüentemente, esses indivíduos fantasiam uma experiência sexual com a pessoa observada, mas isto raramente ocorre na realidade. Em sua forma severa, o ato de espiar constitui a forma exclusiva de atividade sexual. O início do comportamento voyeurista geralmente ocorre antes dos 15 anos.

Essa certamente é a forma mais comum de Parafilia, acredito que mais de 90% das pessoas "sofram deste mal".


Fetichismo é a atração sexual por objetos inanimados ("fetiches"). Entre os objetos de fetiche mais comuns estão calcinhas, sutiãs, meias, sapatos, botas ou outras peças do vestuário feminino.

O fetichista freqüentemente se masturba enquanto segura, esfrega ou cheira o objeto do fetiche, ou pode pedir que o parceiro use o objeto durante seus encontros sexuais.

Esta parafilia não é diagnosticada quando os fetiches se restringem a artigos do vestuário feminino usados no transvestismo, como no  fetichismo transvéstico, ou quando o objeto é genitalmente estimulante porque foi concebido com esta finalidade (por exemplo, vibrador).

Em geral, a parafilia inicia na adolescência, embora o fetiche possa ter sido investido de uma importância especial na infância. Uma vez estabelecido, o fetichismo tende a ser crônico.


Dendrofilia é uma parafilia na qual as pessoas sentem atração sexual ou sexualmente excitado por árvores, legumes, plantas, etc. Isto pode envolver contato sexual, veneração como símbolos fálicos ou ambos. Pode ser entendido como uma forma de estimular a masturbação, nos casos em que se insere legumes ou frutas na vagina ou no ânus. A utilização de flores para acariciar o próprio corpo ou o do parceiro também pode ser visto, de certo modo, como um comportamento dendrofílico.

Minha ex-namorada era enfermeira e já participou de várias ocorrências de legumes e afins entalados em ânus e vaginas por ai. É mais comum do que se pensa.

O filme Contos Eróticos aborda bem esse tipo de parafilia.


Salirofilia é o fetiche pela saliva e pelo suor, o que pode inclui ser lambido, lamber, cuspir ou ser cuspido durante o ato sexual. É uma das parafilias menos condenadas socialmente e também uma das mais comuns. A saliva pode ser usada como lubricante para facilitar a penetração. Assim como o beijo pode transmitir mononucleose e gripe. O salirofílico por exemplo sentiria prazer ao conversar aquelas pessoas que falam cuspindo.








Sitofilia é a atração sexual em que se mistura o erotismo e o comida. A prática pode levar, ou não ao ato sexual. A menção costuma estar relacionada habitualmente com o jogo erótico com a comida: masturbação com diversas verduras (pepinos, cenouras, etc.), se lambuzar com chocolates, mel, etc. A maioria das pessoas acha que as guerras de comidas são apenas um desperdício de comida, mas sploshers e sitófilos acham simplesmente excitante. A prática pode ter fins decorativos, às vezes pode corresponder a servir um prato sobre os genitais: femininos ou masculinos. A sitofília geralmente é misturada com outras formas de fetiche como a o nyotaimori (atividade sexual que ocorre principalmente no Japão, onde o sushi é comido ritualmente no corpo de uma mulher).

A diferença entre dendrofilia e  sitofilia, no caso da masturbação principalmente com legumes, é o fato da primeira a pessoa se sentir atraída pelo objeto em si, não pela simulação do orgão sexual como ocorre na segunda.


Exibicionismo é a atração sexual em expor os próprios genitais a um estranho. Às vezes o indivíduo se masturba durante a exposição (ou enquanto fantasia que se expõe). Se o indivíduo age sob a influência desses anseios, geralmente não existe qualquer tentativa de uma atividade sexual adicional com o estranho.

Em alguns casos, o indivíduo está consciente de um desejo de surpreender ou chocar o observador; em outros, tem a fantasia sexualmente excitante de que o observador ficará sexualmente excitado. O início em geral ocorre antes dos 18 anos.






Sadismo sexual envolve atos (reais, não simulados) nos quais o indivíduo deriva excitação sexual do sofrimento psicológico ou físico (incluindo humilhação) da vítima. Alguns indivíduos com esta parafilia se sentem perturbados por suas fantasias sádicas, que podem ser invocadas durante a atividade sexual, mas não são atuadas de outro modo; nesses casos, as fantasias sádicas envolvem, habitualmente, o completo controle sobre a vítima, que se sente aterrorizada ante o ato sádico iminente. Outros atuam segundo seus anseios sádicos com um parceiro que consente em sofrer dor ou humilhação (e que pode ter masoquismo sexual).

As fantasias ou atos sádicos podem envolver atividades que indicam o domínio do indivíduo sobre a vítima (por exemplo, forçar a vítima a rastejar ou mantê-la em uma jaula).

As fantasias sexuais sádicas tendem a ter estado presentes na infância. A idade de início das atividades sádicas é variável, mas habitualmente ocorre nos primeiros anos da vida adulta.

A próxima parte da série ira abordar as parafilias que ultrapassam o limite entre o prazer e a lei.

Até quarta!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O Jardim da Rocha

O Jardim da Rocha é um parque de 40 hectares repleto de praças, cachoeiras e milhares de peças únicas feitas de materiais reciclados. Ele fica em Chandigarh, na Índia, e foi criado por um único homem: Nek Chand. O processo durou mais de quarenta anos!

Em 1958, Nek Chand era inspetor rodoviário do Departamento de Obras Públicas, e estava fazendo jangadas e barcos a vela para navegação no recém-criado lago Sukhna. Porém, as autoridades logo colocaram barcos disponíveis para aluguel no local, e suas atividades foram proibidas. Assim, Nek pode dedicar mais tempo de sua vida à sua paixão por rochas e pedras, e começou a juntá-las próximo a colina Shivalik e os rios Cho Sukhna, Rao Patiala e Ghaggar.

Na mesma época, o arquiteto suíço Le Corbusier foi convidado a projetar a cidade de Chandigarh, a primeira cidade planejada da Índia, e as pequenas aldeias em torno da área foram demolidas. Isso proporcionou a Nek Chand uma abundância de material que aumentou sua coleção de rochas.

Em 1965, ele encontrou um desfiladeiro isolado, na floresta próxima à cidade, e decidiu que ali construiria seu reino mágico. Fragmentos de vasos e garrafas quebrados e pedaços de tijolos e pedras naturais foram os principais materiais utilizados. Nek tinha medo que esse sonho lhe custasse o emprego, já que era um projeto ilegal.

Após olhar o projeto de Nek, o arquiteto-chefe de Chandigarh o aconselhou a continuar seu trabalho em segredo, até que ele pudesse convencer o mundo de que, apesar de ilegal e não autorizado, o Jardim da Rocha era uma obra que deveria ser preservada.

Um ano depois, Nek Chand recebeu autorização para ampliar seu projeto em mais 25 hectares, e o parque foi aberto ao público em 1976.

A reciclagem era parte importante do projeto, e se tornou ainda mais depois que ele foi finalmente autorizado. Nek recolheu resíduos em hospitais, hotéis, restaurantes e continuou trabalhando no parque até poucos anos atrás.

Hoje, cerca de 5.000 pessoas visitam o local todos os dias. Ele deixou de ser um segredo não autorizado para se tornar a segunda principal atração turística da Índia, atrás apenas do Taj Mahal.

[Oráculo: Hype Science]









segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Cativo de Circe

Enviado pelo Sophyzta Macabro.
Envie sua poesia também para sociedadedionisiaca@gmail.com.

Fungando perto da minha boca,
o hálito afrodisíaco, envolvente
e as mãos cálidas pousando
nas coxas como que se não
quisesse nada...
E ao mesmo tempo me agarrava,
sufocava minha sensatez
de homem justo cortês,
violando meu templo,
cheio de incensos
pra dar gozo e mais nada.

Por entre as pernas frementes
escorria lisa e cálida...
Com pedidos latentes
para penetrar-lhe
seu recipiente
cheio de ingredientes.
Lambia seu cálice de onde
surge a vida.

A lascívia
assume uma das formas
de pesquisa,
porque quero ser sábio
nas curvas femininas,
degustando os goles
nos suores dessa alquimia.

Os corpos estão compostos
na melodiosa sinfonia.
Ditosa...
Perdendo todo o senso
em suas forças propenso:
fui ventríloquo postiço,
conduzido com maestria
por sua invisível
e irrefutável via.

Gemido viscoso
que me configura
a um urro estrondoso.

Vai guiando na pontilhada
dos pecados, onde assino
o meu contrato nefasto.
E tenho anseios demoníacos,
afrodisíacos, dionisíacos,
hetermaníacos...
E me gasto
ao romper da manhã.
Sei que toda mulher
é uma espécie de Circe
que joga, cativa e conquista
com meiguice,
faz do sábio tolo
com seu encanto,
seu dúlcido amaranto
e astuto dolo.
Faz o errôneo
parecer idôneo.
E o homem
paradoxo de cachorro.

Mênfis Silva e Bruno Pereira (Sophyzta)

Contos Eróticos : O filme

Há alguns anos atrás resolvi me fazer um desafio: Assistir filmes todos os dias durante 1 mês na videoteca do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).

O esquema da videoteca é o seguinte: Você marca um horário e escolhe um dos filmes no catalogo de lá. Compra o ingresso (que se não me engano é 6 reais) e assiste numa sala privada para até 3 pessoas. A validade do ingresso é de 1 mês e pode ir quantas vezes quiser.

E um dos que vi nesta maratona foi o filme Contos Eróticos.
O filme mostra 4 histórias não relacionadas , como se fossem curtas independentes, dirigidas por 4 diretores diferentes (Roberto Santos, Roberto Palmari, Eduardo Escorel e Joaquim Pedro de Andrade).

Os "Contos Eróticos" que o filme se refere são de um concurso que a revista Status (hoje Playboy) promovia. Talvez seja algo que falte à Playboy atual.

Esse filme é uma raridade, dificilmente você irá achar por aí. Não tem nem registro no You Tube.

Caso você seja do RJ, aconselho ir ao CCBB e pedir para assistir esse filme na videoteca (por isso expliquei o esquema de lá no inicio).

O primeiro conto se chama “Arroz com Feijão” e conta a história de um cara pobre e jovem que mora em uma pensão onde a dona é uma bela senhora com seus 40 e poucos anos. E pela provocação de olhares de ambos, a cena acaba numa avassaladora cena de sexo.

A história é explicitamente inspirada na música A dona do Primeiro Andar do grupo do Mussum (Trapalhões), Originais do Samba, que diz no refrão:

Estou apaixonado, apaixonado estou
Estou apaixonado, apaixonado estou
Pela dona do primeiro andar
Pela dona do primeiro andar



Sacaram a malícia do Pela dona/Peladona?

O segundo conto se chama "As Três Virgens”, uma garota transa com o namorado e a mãe religiosa manda a garota morar com 3 tias religiosas que nunca se entregaram aos prazeres do sexo.

Essa cena eu não lembro bem, mas se não me engano a garota convence as tias de que existe amor no sexo e elas acabam ajudando a garota a se encontrar com o namorado e transar na sua casa. As tias aparentemente acabam sentindo remorso do tempo perdido e acabam se tocando de que perderam os prazeres da vida e não querem o mesmo para a sobrinha.
A terceiro conto se chama "O Arremate”, que conta a história de um fazendeiro que cobra a dívida de um empregado (bem ao estilo senhor feudal) e quando o mesmo vai tentar um empréstimo na cidade, o Sinhozinho Malta, ops, Lima Duarte, acaba fazendo a filha pagar a dívida daquele jeito que vocês sabem.

É a pior parte do filme, isso porque eu não consigo me excitar com coação, estupro e humilhação.
A quarto e último conto do filme é o mais esperado (com razão). É considerado até hoje uma das melhores e mais polêmicas cenas do cinema nacional de todos os tempos. Tenho que frisar que o filme se passa durante a ditadura militar e sua audácia ainda não foi repetida nem nos tempos modernos onde a liberdade de criar acabou, ao que parece, sendo prejudicial a inspirarão para criar roteiros desafiadores, questionadores e polêmicos.

O nome do conto é "Vereda Tropical" e ele conta a história de um professor que mora em Paquetá e tem relações sexuais com frutas.

Mas a história vai muito além de um pensamento grosseiro sobre o assunto. Ele simplismente tem uma relação afetiva com as frutas, principalmente com as melancias.

Vou tentar descrever por partes a cena antológica da transa com a melancia: ele toma banho com ela, conversa, acaricia, cria diálogos, convence a transar com ele, delicadamente cria um buraco para a penetração, a melancia reluta em transar (?), ela a "estupra", volta a ficar carinhoso, depois violento, goza, corta melancia e come, com a boca agora.
Parece repugnante, mas só vendo para sentir com atuação impecável e sentimento de prazer ao extremo a humanização do personagem interpretado pelo ator Flávio Cavalcante.

Essa atração sexual dele é denominada Dendrofilia. Irei escrever mais detalhadamente sobre ela na segunda parte da série de posts "Parafilia :Muito Além da Perversão"

Bem, está aí um filme que, se você não conhece, deveria.

E, se conhece, deveria colocar sua visão nos comentários.

sábado, 22 de janeiro de 2011

A boa do fim de semana é tirar fotos

Este post é em homenagem a uma amiga minha. Muito querida e muito "fotogênica"... Espero algum dia poder colocar fotos dela aqui. Fiquem na torcida. Vale a pena.