terça-feira, 12 de julho de 2011

BDSM?!?!?!

Muito se fala nessa sigla pela internet e em outros ambientes safadinhos. Provavelmente você sabe o que vai encontrar quando vê essa identificação, mas você sabe o que ela realmente significa?


BDSM é uma sigla que designa uma série de práticas sexuais pouco usuais. É um acrônimo de Bondage e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo. São práticas diferentes, mas que têm vários pontos de interseção. Quem pratica um, queira ou não, acaba entrando em contato com outro.


As práticas ficaram muito confinadas à subcultura punk e BDSM nos anos 90, mas isso tem mudado. Cada vez mais pessoas conhecem e praticam. Calcula-se que de 5 a 25% da população são praticantes de BDSM. Hoje temos lojas especializadas, festas e até eventos públicos dedicados à essa subcultura!

Normalmente se pensa que BDSM é apenas uma questão de dor, mas os praticantes normalmente são mais preocupados com o poder, a humilhação e o prazer. Dos três componentes, apenas o sadomasoquismo exige a dor. Muitas práticas de BDSM podem não incluir nenhum tipo de dor, apenas a questão da troca de poder na relação.

Bondage e Disciplina
Estes dois aspectos do BDSM não se relacionam pelo tipo de atividades envolvidas, mas por questões conceituais.

O termo "bondage" descreve a prática de contenção física. Bondage geralmente, mas não sempre, é uma prática sexual. Basicamente, você imobiliza o parceiro prendendo seus membros com algemas ou cordas, ou amarrando seus braços a algum objeto.Também tem a opção de colocar o parceiro com os membros bem separados, amarrado numa cama, por exemplo.

O termo "disciplina" descreve a contenção psicológica com regras e punições para controlar o comportamento do outro (beijo, Ju!). A punição pode ser causar dor física (como chicotadas), humilhação psicológica (usar coleira em público, por exemplo) ou restrição de liberdade (tipo ficar preso a uma cama).


Dominação e Submissão
D&S se refere a um conjunto de comportamentos, trajes e rituais relacionados a dar e aceitar o controle de um indivíduo sobre o outro num contexto sexual ou no próprio estilo de vida. Explora os aspectos mais mentais do BDSM.

Um exemplo de práticas do tipo são os jogos educacionais, nos quais o dominador exige formas de comportamento do dominado. Formas especiais incluem o ageplay (em que a diferença de idade, real ou encenada, cria o contexto) e o petplay (acho que dispensa explicações...). A forma mais clássica de jogo de dominação é a dominação e escravidão.


Sadismo e masoquismo
O sadomasoquismo se refere aos aspectos físicos do BDSM. Sadismo descreve o prazer sexual em inflingir dor, degradação e humilhação a outra pessoa. Quem lembrou do Marquês de Sade está certíssimo. Por outro lado, o masoquista curte ser obrigado, espancado ou sofrer dentro de um cenário consentido. O sadomasoquismo não envolve o prazer por causar ou receber dor em outras situações, como acidentes, procedimentos médicos ou pura crueldade. É estritamente sexual.

Algumas práticas do BDSM podem ser feitas sem a ajuda de um parceiro, como o self-bondage e a asfixia auto-erótica, mas isso pode ser perigosos. O ator David Carradine (Bill, de Kill Bill) morreu em 2009 praticando esta última.


Relações
Existem três tipos de papéis neste tipo de relação. Há o top, ou dominante, há o bottom, ou submisso e tem os switchers, que são os casais em que ambos exercem os dois papéis.

A duração da prática também varia bastante. Elas podem acontecer apenas durante a relação sexual, normalmente entre parceiros que não são fixos; podem ser de longa duração, mas sem um tempo predeterminado; podem ser do tipo 24/7, ou seja, 24 horas durante 7 dias na semana, ou seja de novo, pra sempre!!!

Um comentário:

  1. Ficou mto bom! Curto, bem explicado e com boas fotos!
    Brigada pelo beijo! =P
    Eu já te disse q vc é um safado?

    ResponderExcluir