quarta-feira, 25 de maio de 2011

Shhh

Um conto enviado pela Geninha. Acho que é baseado em fatos reais... Se quiserem um conto publicado aqui, já sabem: é só mandar um e-mail para sociedadedionisiaca@gmail.com.

Sabe aquelas noites em que a gente quer sair de qualquer jeito, dancar e beber a noite toda e voltar pra casa só de manha, mas não encontra companhia?

Era uma noite dessas, mas ela não é de desistir tao fácil.

Saiu sozinha mesmo, aproveitou para conhecer um lugar novo.

Lá pelas tantas, apareceu aquele que mudaria tudo: cabelos compridos, bandana a la Jack Sparrow, unhas pintadas de preto. Estava apaixonada.

Depois de 5 minutos de conversa, já estavam se beijando. Mais um pouco e a mão dele já havia achado um jeito de se enfiar por baixo do vestido.

- Aqui não - apesar de bêbada, ainda teve tempo de falar.

E o que parecia ser o início de uma noite promissora, acabou por ali mesmo.

- Vou ver meus amigos. Até mais.

E agora? O que fazer com o tesão prestes a explodir? Decidiu beber mais. Caiu num canto, completamente bêbada.

Até que um dos amigos do Captain Jack apareceu... Uma carinha de moleque, jeitinho de ser bonzinho demais. Definitivamente não rolaria nenhuma química entre os dois.

- Eles já estão fechando, você não vai pra casa?

- Não quero ir pra casa! (Quero transar, era o que ela queria dizer, mas não disse).

- Então vem com a gente. Estamos num hotel aqui perto.

Naquela altura, já não sabia dizer não. Chegando lá, a supresa: era um quarto com 5 homens e 5 camas. "Como que eu vou dormir aqui?", pensou.

O amigo bonzinho parece ter ouvido.

- Você pode dormir na minha cama e eu durmo no chão. Ou a gente pode dormir na cama juntos, se você não se importar.

- Ah, não me importo não.

E deitaram, cada um de um lado da cama de solteiro.

30 segundos depois.

- Posso colocar meu braço assim? - perguntou, já abracando-a.

- Pode.

E ela sentiu algo mais além do braco. Não é que o amigo bonzinho era bem esperto?

Do abraço, a mão já escorregou para os seios. E logo depois para a calcinha, que desapareceu magicamente.

(Ninfomaniacas de carteirinha como ela nao precisam se muito para se excitarem...)

2 minutos depois já estavam transando, com os 4 amigos dormindo (ou não) no mesmo quarto. Não podiam fazer barulho, então não fizeram. Não falaram mais nada.

Ela não sabia nem onde estava, nem sabia o nome dele.

E gozou antes do primeiro beijo.

5 comentários:

  1. os fatos reais sao meio chatos, sempre tem que dar uma forcinha...

    ResponderExcluir
  2. apaixonei-me por ela
    ta na hora d rolar um encontro dionisiaco

    ResponderExcluir
  3. hahahaha só se for por web cam :P

    ResponderExcluir
  4. por mim otimo... skype ou msn?

    ResponderExcluir