quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Parafilia: Muito Além da Perversão - Parte II

http://1.bp.blogspot.com/_boQCIFVXRmg/TP5StUWz6lI/AAAAAAAAAd8/lucAKhBbfeo/s1600/parafilias%2Bcomuns.png
Continuando a série (veja a Parte I), agora vamos abordar as parafilias comuns. As mais praticadas e, até certo ponto, socialmente aceitas.


Voyeurismo é a atração sexual por observar indivíduos, geralmente estranhos, sem suspeitar que estão sendo observados, que estão nus, a se despirem ou em atividade sexual. O ato de observar ("espiar") serve à finalidade de obter excitação sexual, e geralmente não é tentada qualquer atividade sexual com a pessoa observada.

O orgasmo, em geral produzido pela masturbação, pode ocorrer durante o Voyeurismo ou mais tarde, em resposta à recordação do que o indivíduo testemunhou. Freqüentemente, esses indivíduos fantasiam uma experiência sexual com a pessoa observada, mas isto raramente ocorre na realidade. Em sua forma severa, o ato de espiar constitui a forma exclusiva de atividade sexual. O início do comportamento voyeurista geralmente ocorre antes dos 15 anos.

Essa certamente é a forma mais comum de Parafilia, acredito que mais de 90% das pessoas "sofram deste mal".


Fetichismo é a atração sexual por objetos inanimados ("fetiches"). Entre os objetos de fetiche mais comuns estão calcinhas, sutiãs, meias, sapatos, botas ou outras peças do vestuário feminino.

O fetichista freqüentemente se masturba enquanto segura, esfrega ou cheira o objeto do fetiche, ou pode pedir que o parceiro use o objeto durante seus encontros sexuais.

Esta parafilia não é diagnosticada quando os fetiches se restringem a artigos do vestuário feminino usados no transvestismo, como no  fetichismo transvéstico, ou quando o objeto é genitalmente estimulante porque foi concebido com esta finalidade (por exemplo, vibrador).

Em geral, a parafilia inicia na adolescência, embora o fetiche possa ter sido investido de uma importância especial na infância. Uma vez estabelecido, o fetichismo tende a ser crônico.


Dendrofilia é uma parafilia na qual as pessoas sentem atração sexual ou sexualmente excitado por árvores, legumes, plantas, etc. Isto pode envolver contato sexual, veneração como símbolos fálicos ou ambos. Pode ser entendido como uma forma de estimular a masturbação, nos casos em que se insere legumes ou frutas na vagina ou no ânus. A utilização de flores para acariciar o próprio corpo ou o do parceiro também pode ser visto, de certo modo, como um comportamento dendrofílico.

Minha ex-namorada era enfermeira e já participou de várias ocorrências de legumes e afins entalados em ânus e vaginas por ai. É mais comum do que se pensa.

O filme Contos Eróticos aborda bem esse tipo de parafilia.


Salirofilia é o fetiche pela saliva e pelo suor, o que pode inclui ser lambido, lamber, cuspir ou ser cuspido durante o ato sexual. É uma das parafilias menos condenadas socialmente e também uma das mais comuns. A saliva pode ser usada como lubricante para facilitar a penetração. Assim como o beijo pode transmitir mononucleose e gripe. O salirofílico por exemplo sentiria prazer ao conversar aquelas pessoas que falam cuspindo.








Sitofilia é a atração sexual em que se mistura o erotismo e o comida. A prática pode levar, ou não ao ato sexual. A menção costuma estar relacionada habitualmente com o jogo erótico com a comida: masturbação com diversas verduras (pepinos, cenouras, etc.), se lambuzar com chocolates, mel, etc. A maioria das pessoas acha que as guerras de comidas são apenas um desperdício de comida, mas sploshers e sitófilos acham simplesmente excitante. A prática pode ter fins decorativos, às vezes pode corresponder a servir um prato sobre os genitais: femininos ou masculinos. A sitofília geralmente é misturada com outras formas de fetiche como a o nyotaimori (atividade sexual que ocorre principalmente no Japão, onde o sushi é comido ritualmente no corpo de uma mulher).

A diferença entre dendrofilia e  sitofilia, no caso da masturbação principalmente com legumes, é o fato da primeira a pessoa se sentir atraída pelo objeto em si, não pela simulação do orgão sexual como ocorre na segunda.


Exibicionismo é a atração sexual em expor os próprios genitais a um estranho. Às vezes o indivíduo se masturba durante a exposição (ou enquanto fantasia que se expõe). Se o indivíduo age sob a influência desses anseios, geralmente não existe qualquer tentativa de uma atividade sexual adicional com o estranho.

Em alguns casos, o indivíduo está consciente de um desejo de surpreender ou chocar o observador; em outros, tem a fantasia sexualmente excitante de que o observador ficará sexualmente excitado. O início em geral ocorre antes dos 18 anos.






Sadismo sexual envolve atos (reais, não simulados) nos quais o indivíduo deriva excitação sexual do sofrimento psicológico ou físico (incluindo humilhação) da vítima. Alguns indivíduos com esta parafilia se sentem perturbados por suas fantasias sádicas, que podem ser invocadas durante a atividade sexual, mas não são atuadas de outro modo; nesses casos, as fantasias sádicas envolvem, habitualmente, o completo controle sobre a vítima, que se sente aterrorizada ante o ato sádico iminente. Outros atuam segundo seus anseios sádicos com um parceiro que consente em sofrer dor ou humilhação (e que pode ter masoquismo sexual).

As fantasias ou atos sádicos podem envolver atividades que indicam o domínio do indivíduo sobre a vítima (por exemplo, forçar a vítima a rastejar ou mantê-la em uma jaula).

As fantasias sexuais sádicas tendem a ter estado presentes na infância. A idade de início das atividades sádicas é variável, mas habitualmente ocorre nos primeiros anos da vida adulta.

A próxima parte da série ira abordar as parafilias que ultrapassam o limite entre o prazer e a lei.

Até quarta!

6 comentários:

  1. Queria saber d onde vc tá tirando essas coisas, Tom. Tem algumas pequenas diferenças do q vc diz pro q eu entendo sobre certos fetiches. Mas eu ñ faço idéia das minhas fontes (talvez sejam idéias intuitivas), aí queria saber suas fontes pra chutar as minhas pras cucuias.

    Ainda assim, gostaria d comentar o q eu penso sobre as parafilias.

    Vouyeurismo: É o prazer sexual ao observar outro. O outro não precisa estar em situação sexual (embora normalmente esteja), nem desnudo. Tb ñ concordo c/ isso do observado não saber q está sendo visto. Tanto é q voyeurismo e exibicionismo se completam.

    Fetichismo: Chamamos d fetiche atualmente as práticas sexuais específicas, ou seja, o que vc tá chamando aqui d parafilia. Provavelmente a sua terminologia é a mais correta, mas é válido comentar o uso comum q se dá às palavras.

    Pelo uso comum, o fetiche é o prazer pela prática específica e não pelo ato sexual. Como nos exemplos q o Tom citou da calcinha ou do salto alto serem a fonte de prazer, mas expandindo para qualquer coisa q se torne mais importante q o sexo em si. Então o exibicionismo ou o sadomasoquismo seriam fetiches DE ACORDO COM O VOCABULÁRIO CORRENTE.

    Salirofilia: ODEIO cuspidinha durante o ato sexual.

    Sitofilia: Dizem q gordinhos são mais propensos a terem essa tara.

    Exibicionismo: Ñ é exatamente a exposição dos seus orgãos sexuais. Mas é de se expor sexualmente, oq pode acontecer d forma q seus orgãos não sejam vistos.

    Um amigo de um amigo meu disse q esse fetiche só surgiu nele aos 20 anos, numa festa chamada Rendez-Vous numa casa d swing.

    Sadismo (não entendi pq vc escreveu "sadismo sexual" e "masoquismo sexual"): Acho q a grande questão do sadismo é a humilhação do outro. Qualquer coisa física q aconteça é apenas mais uma forma de humilhar o outro.

    Acho q o Masoquismo merecia um tópico próprio. Assim como o bondage e a dominação. Ou um tópico sobre o conjunto dos quatro: o BDSM (Bodage, Dominação, Sadismo e Masoquismo).

    Tem um fetiche importantíssimo q vc esqueceu: a podolatria. A podolatria é a tara por pés e quase sempre vem acompanhada da questão da dominação. É muito mais comum em homens do que em mulheres. O prazer destas pessoas está em beijar, lamber e principalmente ter seus rostos esfregados pelos pés das mulheres. Normalmente eles apreciam muito sandálias de salto alto e fino. Isso acaba levando a uma prática chamada trampping (acho q é assim) que consiste na mulher caminhar ou apenas pisar sobre o corpo do rapaz usando os tais saltos altos.

    Acho q é isso. =)

    ResponderExcluir
  2. Aêêêê!!! Parafilias legais! o/

    Concordo com o Will quando ele fala de vouyeurismo,fetichismo e exibicionismo e tbm acho mega broxante cuspir...sabe qdo o cara tá recebendo um oral e leva AQUELA cuspida, seguida da cara de safada? Se eu fosse o cara, parava por alí.

    Não sei se a sitofilia é mais comum entre gordinhos...sei q EU sou gordinha e não tenho isso não...kkk

    Agora, discordo do Will qdo ele fala de sadismo, pq entendo que existem sádicos que não gostam de humilhar, só de infringir dor e sádicos que gostam de humilhar, sem machucar, e claro, os que gostam dos 2...mas bom, isso é só minha opnião, sem fundo científico..kkk

    Tentei achar um post que falasse especificamente sobre isso num blog BDSM de (minha) confiança (pq conheço o cara e sei q o q ele vive é verdadeiro), mas não consegui escolher um, então tô colocando o endereço.

    http://sm-semmisterio.blogspot.com/

    Ah! lá tem um post sobre podolatria!

    http://sm-semmisterio.blogspot.com/2010/04/podolatria-podolatras.html#more

    Esperando a próxima quarta, já! ^^

    Júlia

    ResponderExcluir
  3. vamos lá,

    as fontes estão no quarto post da série.

    Voyerismo.. tipo, se o cara tiver observando alguem sem nenhuma conotação sexual ai não é voyerismo.

    tipo, o cara observar uma mulher mulçumana com os trajes tipicos e se excitar deve ser outro tipo de parafilia. não voyerismo...

    sobre o fetichismo , existem variações dentro de uma mesma parafilia. exibicionismo e sadomasoquismo estão inclusos dentro do fetichismo. assim como a salirofilia está incluso em vários outros. é só uma variante , não a essência.

    coloquei sadismo sexual pelo simples fato do sadismo em si não ser sexual. uma pessoa sadica pode gostar de ver uma pessoa sendo mutilada, isso não necessariamente causa algum tipo de prazer sexual ao sadico.

    falo sobre a podolatria no quarto post da serie.

    ***
    ô, julia, a salirofia não se refere só aquele cuspe de humilhação tipo em filme pornô, onde os caras cospem na boca da mulher e tal.

    mas o simples ato de lubrificar o órgão genital já está incluso na parafilia.

    ah, e discordo will, de que a Sitofilia é para gordinhos em geral. você nunca deramou um leite condensado, vinho, na mulher e depois lambeu.

    se sim, bem vindo ao clube...

    agora vem, a duvida, será que camisinha de sabor faz parte da sitofilia hehe?

    ***
    Minha ignorancia em quarquer topico tem q ser relevada,... pois eu sou virgem
    .
    .
    .
    .
    ..
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    bem... pelo menos é o q o novo horóscopo disse hehe

    ResponderExcluir
  4. Hum...
    entendi...

    Tom, eu sei que a salirofia não se refere só á humilhação...o que eu disse sobre o oral é justamente com a intenção de lubrificar mas, nem por isso, PRA MIM, é menos broxante...o problema não é a saliva, longe disso! É o ato de cuspir mesmo...ainda se fosse para humilhar, talvez eu relevasse...kkk

    Ah, camisinha com sabor tem muito mais cheiro do que sabor...não deveria entrar pra sitofilia, eu acho...

    Beijão!
    Júlia

    ResponderExcluir
  5. Ainda acho q o voyeurismo está nos olhos d quem vê. Se eu vejo uma mulher trocando d roupa, pra ela ñ tem nada d sexual, mas pra mim tem. Ñ é o q a outra pessoa faz, mas o q eu faço c/ o q eu vejo q me torna um voyeur.

    ResponderExcluir