segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Contos Eróticos : O filme

Há alguns anos atrás resolvi me fazer um desafio: Assistir filmes todos os dias durante 1 mês na videoteca do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).

O esquema da videoteca é o seguinte: Você marca um horário e escolhe um dos filmes no catalogo de lá. Compra o ingresso (que se não me engano é 6 reais) e assiste numa sala privada para até 3 pessoas. A validade do ingresso é de 1 mês e pode ir quantas vezes quiser.

E um dos que vi nesta maratona foi o filme Contos Eróticos.
O filme mostra 4 histórias não relacionadas , como se fossem curtas independentes, dirigidas por 4 diretores diferentes (Roberto Santos, Roberto Palmari, Eduardo Escorel e Joaquim Pedro de Andrade).

Os "Contos Eróticos" que o filme se refere são de um concurso que a revista Status (hoje Playboy) promovia. Talvez seja algo que falte à Playboy atual.

Esse filme é uma raridade, dificilmente você irá achar por aí. Não tem nem registro no You Tube.

Caso você seja do RJ, aconselho ir ao CCBB e pedir para assistir esse filme na videoteca (por isso expliquei o esquema de lá no inicio).

O primeiro conto se chama “Arroz com Feijão” e conta a história de um cara pobre e jovem que mora em uma pensão onde a dona é uma bela senhora com seus 40 e poucos anos. E pela provocação de olhares de ambos, a cena acaba numa avassaladora cena de sexo.

A história é explicitamente inspirada na música A dona do Primeiro Andar do grupo do Mussum (Trapalhões), Originais do Samba, que diz no refrão:

Estou apaixonado, apaixonado estou
Estou apaixonado, apaixonado estou
Pela dona do primeiro andar
Pela dona do primeiro andar



Sacaram a malícia do Pela dona/Peladona?

O segundo conto se chama "As Três Virgens”, uma garota transa com o namorado e a mãe religiosa manda a garota morar com 3 tias religiosas que nunca se entregaram aos prazeres do sexo.

Essa cena eu não lembro bem, mas se não me engano a garota convence as tias de que existe amor no sexo e elas acabam ajudando a garota a se encontrar com o namorado e transar na sua casa. As tias aparentemente acabam sentindo remorso do tempo perdido e acabam se tocando de que perderam os prazeres da vida e não querem o mesmo para a sobrinha.
A terceiro conto se chama "O Arremate”, que conta a história de um fazendeiro que cobra a dívida de um empregado (bem ao estilo senhor feudal) e quando o mesmo vai tentar um empréstimo na cidade, o Sinhozinho Malta, ops, Lima Duarte, acaba fazendo a filha pagar a dívida daquele jeito que vocês sabem.

É a pior parte do filme, isso porque eu não consigo me excitar com coação, estupro e humilhação.
A quarto e último conto do filme é o mais esperado (com razão). É considerado até hoje uma das melhores e mais polêmicas cenas do cinema nacional de todos os tempos. Tenho que frisar que o filme se passa durante a ditadura militar e sua audácia ainda não foi repetida nem nos tempos modernos onde a liberdade de criar acabou, ao que parece, sendo prejudicial a inspirarão para criar roteiros desafiadores, questionadores e polêmicos.

O nome do conto é "Vereda Tropical" e ele conta a história de um professor que mora em Paquetá e tem relações sexuais com frutas.

Mas a história vai muito além de um pensamento grosseiro sobre o assunto. Ele simplismente tem uma relação afetiva com as frutas, principalmente com as melancias.

Vou tentar descrever por partes a cena antológica da transa com a melancia: ele toma banho com ela, conversa, acaricia, cria diálogos, convence a transar com ele, delicadamente cria um buraco para a penetração, a melancia reluta em transar (?), ela a "estupra", volta a ficar carinhoso, depois violento, goza, corta melancia e come, com a boca agora.
Parece repugnante, mas só vendo para sentir com atuação impecável e sentimento de prazer ao extremo a humanização do personagem interpretado pelo ator Flávio Cavalcante.

Essa atração sexual dele é denominada Dendrofilia. Irei escrever mais detalhadamente sobre ela na segunda parte da série de posts "Parafilia :Muito Além da Perversão"

Bem, está aí um filme que, se você não conhece, deveria.

E, se conhece, deveria colocar sua visão nos comentários.

3 comentários:

  1. no ccbb/sp não tem videoteca =/
    vou ter q procurar em outro lugar!

    Beijo,
    Júlia

    ResponderExcluir
  2. "Há alguns anos atrás" é vício de linguagem.

    "Há alguns anos resolvi..."

    ou

    "Alguns anos atrás resolvi..."

    FikDik...

    Aliás, ótima indicação. Filme mto raro e que realmente valhe a pena assistir.

    ResponderExcluir
  3. O arremate eu assisti. Gostei. A atriz é boa... eu gostei da cenas de coação, estupro e humilhação. O "Sinhozinho Malta" chega, ela esta sozinha. Fica apreensiva, ele se ofecere um café... ela faz... ele pega ela e diz que o pai dela a ofereceu como pagamento. depois ele vai embora, ela se lava em uma bacia e some no mundo. o pai volta, e se ve que a filha foi embora. ve o que ocorreu e se arrepende. muito massa!!!

    Já o Vereda Tropical é muito louco. cheguei a mudar de canal no começo da cena da melancia...(tinha uns 14 anos, nao tinha problema com o estupro de uma virgem gostosinha, mas melancia para mim foi demais...).
    quando ele começa a fazer o buraco na melancia, quando a melancia tenta obrigá-lo a chupar o pau (caule), e ele corta fora... huahuhuhauhuahu massa. outra coisa é a amiga dele, que quer dar pra ele... e fica ajudando ele a escolher as frutas... eu so pensava: "porra, desencana dessa porra e tira a roupa dela logo!!!!"
    Mas é interessante. diferente. lembrei do serguei. pansexual...
    os outro dois nao vi.

    ResponderExcluir