domingo, 31 de janeiro de 2010

A Mardita #6

Mardita agora em novo formato. Ficou melhor que o antigo ou devo voltar ao modo horizontal?


sábado, 30 de janeiro de 2010

Os Love Hotels japoneses

A cultura japonesa é muito diferente da do resto do mundo, particularmente em relação ao sexo.

Se você andar 10 minutos pela rua lá (numa cidade grande), provavelmente vai encontrar uma máquina de sex shop (tipo aquelas de refrigerante que tem colocar uma fichinha), onde você pode comprar os mais variados acessórios, inclusive fantasias de colegial (que constituem a paixão nacional em termos de fetiches).

Caso queira transar e não saiba falar japonês, pode ser uma boa opção procurar uma das casas dedicadas ao assunto, que existem aos montes e dos mais variados tipos; sua receita talvez te imponhe, no entanto, que tenha que pegar uma puta gostosa: é que prostitutas com aspectos bizarros e/ou que apresentem algum tipo de deformidade, como a encefalite, por exemplo, costumam ser super valorizadas e caríssimas por lá.

Você pode querer degustar, também, alguma das especialidades locais. O Japão possui diversas práticas sexuais próprias, como o Bukkake. Existe uma lenda urbana que diz que o Bukkake surgiu no Japão antigo, quando as mulheres adúlteras eram amarradas para ter a sua cara gozada por todos os homens da cidade. Mas a teoria mais confiável é que tenha surgido em filmes pornográficos no final da década de 80, como um recurso dos produtores para tornar mais intensas as cenas de sexo, uma vez que era proibido a aparição dos órgãos genitais.

De qualquer maneira, não dá pra deixar de conhecer os "love hotels" deles. Dá uma olhada em alguns quartos:



Plantão SD

Extra! A americana Nicole Ann Altendorf foi condenada nesta quinta-feira (28/01) a um ano de condicional por assistir a um filme pornô com a janela aberta no dia 16 de outubro, permitindo que ele pudesse ser visto e ouvido pelos alunos de uma escola. A SD apoia que todo estudante tenha direito a acesso gratuito a produções audiovisuais.

Extra! Duas mulheres foram presas nos Estados Unidos, acusadas de apresentar uma falsa denúncia de estupro. Depois elas admitiram que transaram com o cara em troca de um maço de cigarros e ligaram para a polícia porque acharam a transa meia-boca.

Extra! O ex-funcionário de uma concessionária na Flórida foi preso por ter colocado imagens pornográficas em um banner da empresa na internet, escrever palavras obscenas nas descrições dos carros e mudar os preços dos veículos que estavam à venda. Se todas as vinganças envolvessem pornografia, o mundo estaria bem melhor.

Extra! O pub Auld Dubliner, na Califórnia, entrou para o Guinness ao criar o maior copo de cerveja do mundo. Com 2,44 metros de altura, a tulipa comporta 1.628 litros de cerveja. Isso sim é uma obra de arte.


Extra! Três homens foram vistos nus no metrô de Moscou na noite do último sábado (24). Eles tiraram a roupa na estação Novogireyevo por causa de uma aposta com três garotas que os esperavam na estação de Perovo. Após perseguição, a polícia conseguiu prender um dos jovens, que foi liberado após pagar multa. Só não se sabe de onde ele tirou o dinheiro.

Extra! O norte-americano Robert Smith, de 32 anos, ligou para a polícia alegando que pagou 150 dólares a uma prostituta por um programa, mas ela se recusou a fazer sexo com ele. Ambos foram detidos acusados de prostituição, o que é considerado crime no estado de New Hampshire. Se ele procurasse as mulheres da segunda notícia, perderia, no máximo, um maço de cigarros.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Post Messias #7

Se você não conseguiu ir para a farra hoje, seja um bom nerd e aproveite os links da semana nesta sexta a noite. Como o assunto de mais divertido que eu vi esta semana foi o clima, a chuva ilustrará este post. Têm alguma sugestão pra semana que vem?


ÁLCOOL
Imagens Video: Bêbados sacaneados
Video: Dieta da cerveja
Imagem: Cálculo do novo salário mínimo
Video: O perigo da bebida
Imagens: Bartenders
Video: Beer Pong Slum Dunks


ARTE
Imagens: Grafite
Imagens: Arte com rolos de papel higiênico
Imagens: Arte com fogo
Imagem: Que tipo de artista você é?
Texto: Pequeno conto de metaterror
Texto & Imagens: O mundo impossível de Irina Kuznetsovas
Texto & Imagens: Jóias Orgânicas
Imagens: "Fósseis"
Imagens: Esculturas com pneus
Texto & Video: Poesia moderna de João Negreiros [Se você entender o que ele diz, vai gostar.]


SEXO
Blog: Pequenos Delitos
Entrevista: Por que as mulheres gostam de falar depois do sexo?
Tirinha: Salva por um...
Imagem: Cacetinho
Video: Rapidinha no ponto turístico
Notícia: Revista holandesa dá hora grátis com prostituta
Imagens: Roupa que excita
Imagens: Cup-nude
Texto: Mais polêmica sobre o ponto G
Links: Calos na Mão


OUTROS
Imagens: Charges ecológicas
Imagem: Recicle-se
Texto: Pelo amor de deus!
Citações: 25 citações para refletir
Video: História engraçada sobre Noé
Video: Pigeon (Cyanide & Happiness)


SOCIEDADE DIONISÍACA
E-mail & MSN: sociedadedionisiaca@gmail.com
Chat: group109667@groupsim.com

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Lingerie Day

Nem tava lembrando dessa budega, mas gostei da idéia e sugeri aos coleguinhas de blog uma singela homenagem ao dia. O lingerie day é um movimento criado no twitter em que as pessoas postam fotos suas mostrando a lingerie. Nada muito elaborado e normalmente não apoiamos causas tão vazias como esta, mas bem ou mal acho que esse dia ajuda a tirar certas frescuras a respeito do corpo e de imagens sobre ele. E qualquer iniciativa que ajuda a romper com idéias repressoras sobre o corpo e o uso que cada um faz do seu é muito válida. Vejam nossa contribuição.


E uma contribuição de uma leitora especial (por "especial" não queremos dizer "retardada") enviada de última hora (que vamos fingir que foi enviada dia 28).

Putinhos de rua

menos de 2 semanas após ter me convertido à religião de Dionísio, vivenciei o primeiro ato de intervenção Divina.

estava em casa anteontem quando recebi a seguinte ligação de um amigo:

- "Alô?"
- "E aí, cara, bora transar?"
- "Pô, to dispensando..."
- "Tô brincando, não sou eu, é uma amiga."
- "Como assim?"
- "Uma amiga falou no Msn que quer transar com alguém. AGORA."
(Silêncio)
- "E aí, topa ou não?"
- "Topo."

e aí você se pergunta: "como assim topa, sem nem saber como a mulher é???". talvez você pondere que "deve ser machista, se acha o comedor e não pode dispensar uma buceta": definitivamente não é o meu caso. ou, ainda, "deve ser satiromaníaco ou pansexual, transa com qualquer coisa que aparecer na frente": também não é bem por aí. prefiro apelar para a covardia dos 5 contra 1 do que fazer um sexo mediano. mas acontece é que a cena em que eu estava para atuar tinha vários elementos afrodísiacos prenunciando o bom sexo: adrenalina, falta de pudor, escassez de preconceitos e de restrições quanto ao sexo. ah, sem contar que, mesmo se eu não derramasse uma gota de porra, já iria valer a pena o encontro se eu conseguisse absorver algo dela relativo ao porquê de querer dar para qualquer conhecido de seus contatos de Msn. a melhor experiência que tive com prostitutas foi, aliás, uma conversa com uma delas em um banheira de hidromassagem.

ainda assim, a decisão só foi prontamente tomada uma vez que penso ser a aparência física pouco relevante para o sexo (todo mundo que eu conheço discordaria vivamente de mim nesse momento). fala-se de milhões de tipos de preconceitos, mas o maior e mais arrasador deles ninguém menciona, ninguém combate: o preconceito contra os "feios". ele está presente das mais variadas formas nos mais diversos campos: social, profissional, amoroso, etc. vejo na TV comerciais de grandes empresas de "grande responsabilidade social" seguindo a receita de bolo ética de mostrar negros, índios, etc., mas cadê as pessoas "feias"??? tudo isso para você não associar a imagem dos "feios" à da empresa.. e por quê você pensa que o bonito que é bom?

"Caio diz:
putinhaderua?
Putinhaderua diz:
oi
^^
Caio diz:
oi..
recebi um recado do amigodaputinhaderua.. hahaha.. é sério isso?
Putinhaderua diz:
é
você tem orkut?
mora onde?
essas coisas
Caio diz:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=ls&uid=2823533988496579332
copacabana
e você?
Putinhaderua diz:
ipanema
pode ser agora?"

(...)

"Putinhaderua diz:
e ai? ja é ou ja era?
pq tem um na fila ja pra me comer
Caio diz:
imagino
ahahah
Putinhaderua diz:
mas você é mais legal e bonito, então você ta na frente
Caio diz:
mais legal?
que cara-de-pau!!!"

enfim, após nos encontrarmos, bebermos, conversarmos, criarmos quase que instantaneamente uma intimidade (que é essencial para o bom sexo) e fazermos você-sabe-o-quê-você-não-sabe-como:

- "Não sei porque faço isso de mim, uma putinha de rua."
- "Se é assim, então eu sou um putinho de rua."
- "Mas você é homem, você pode."
- "Você realmente pensa isso?"
- "Não."
- "Acho muito mais interessante uma pessoa bem-resolvida, que sabe o que quer e corre atrás disso. Ou você preferiria ficar em casa solitária se masturbando? É melhor ser uma putinha de rua, não é?"
- "É."

estamos na Era da Informação e temos condenado o livre-arbítrio que exercemos com os nossos próprios corpos...

p.s.: não recomendo esse tipo de experiência para quem não é muito informado a respeito de DSTs...

Perfil do consumo de álcool

Entrevistei em dezembro o Dr. José Mauro Brás de Lima, neurologista, professor da UFRJ, presidente honorário da Sociedade Brasileira de Alcoologia (SBA) e membro da Sociedade Francesa de Alcoologia. Ele me explicou diversas coisas interessantes sobre os efeitos do álcool e vou soltando isso por aqui aos poucos.

Ele comentou que há um perfil padrão de consumo de álcool em todas as sociedades. Cerca de 10% da população é abstêmia, ou seja, não bebe absolutamente nada. Incluem-se aí crianças, alguns religiosos e qualquer um que não bebe por qualquer motivo. No extremo oposto, existem os 10% que são quimicamente dependentes do álcool. A maior parte da população (60%) faz um uso consciente das bebidas, seja para relaxar, animar uma conversa com os amigos, ou diminuir a resistência daquela gostosa da festa. Os 20% restantes são aqueles que abusam do álcool. Provavelmente usam com o mesmo objetivo que os 60% já citados, mas perdem a linha e transam com quem não devem, dirigem bêbados, saem carregados de festas, brigam em boates, batem nas esposas, vomitam ou não fazem nada disso, mas passam do ponto em que pode ser considerado só uso.


E você? Em qual se encaixa?

Adendo
Devido às questões levantadas pelo Caio nos comentários, resolvi pesquisar mais um pouquinho e fazer esse adendo com os números que obtive através de uma pesquisa rápida no site português Sapo.

- A revista médica britânica The Lancet publicou em junho de 2009 que uma em cada 10 pessoas na Europa morre por consumo de álcool, enquanto a nível mundial é uma a cada 25.

- Estima-se que o consumo excessivo de álcool ocorra em 10% das mulheres e 20% dos homens. Respectivamente em 5 e 10% desses indivíduos verifica-se sintomas de dependência. Esses dados eu não sei se são mundiais, referentes à Europa ou só a Portugal, mas são significativos.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A Noite do Sexo Liberal 1/6

Já avisei aqui antes que fiz uma matéria para a faculdade sobre como era a noite dos casais praticantes de swing. Acho que ficou uma matéria bem legal e chegou o momento de compartilhar com vocês. Dividi em 6 partes pra não ficar um texto longo. Publicarei um capítulo por semana, sempre nas quartas-feiras. Espero que gostem.

Introdução (Ui!)
No palco, uma mulher faz um show de strip-tease interagindo com o público que a observa (muito) atentamente; nos sofás, alguns casais (e trios) fazem sexo sob o olhar atento de alguns solteiros; e, no meio da pista, algumas mulheres simplesmente dançam como se nada daquilo estivesse acontecendo a poucos metros delas. É com este tipo de cena que se depara quem vai ao Club Mix, casa de swing localizada na Praça XV (Rua do Mercado, nº 25). A casa tem festas regulares de terça a sábado e eventos especiais, que podem ocorrer nas noites de segunda-feira e domingo ou tardes de quarta (e de domingo este mês).

A linha de todas as festas é relativamente parecida: músicas e apresentações nas pistas de dança, e sexo rolando onde, quando e como os freqüentadores quiserem. Cada uma, porém, é pensada para um público específico, seja para interessados em sexo a três, na troca de casais ou até mesmo em transexuais. As apresentações vão de strip-teases a shows de bandas ao vivo, passando por massagens, tequileiras e brincadeiras. No campo musical, a ênfase é no hip-hop e no funk, ritmos populares e bem ligados à sexualidade, o que não impede que outros estilos possam ser tocados dependendo do público e do tema da festa. A 18A, por exemplo, faz um especial dedicado ao rock’n roll uma vez por mês.


Willa BDSM e seu show xou com as velas

São cinco andares que oferecem as mais variadas opções de entretenimento. Duas pistas de dança que não devem nada para outras casas de festa, um terraço que funciona como um bar onde as pessoas podem relaxar e dois andares dedicados exclusivamente ao prazer adulto.

Esse primeiro texto foi só pra aquecer. Semana que vem vocês conferem o que rola na pista do primeiro andar. Será um texto para ser lido com camisinha. Até lá.

Evoé!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Teste para comercial (+18)

Pra quem curte pornografia com história... É, no mínimo, bem engraçado.



"Papel higiênico stat. Você limpa seu bumbunzinho e sai sem nenhum arranhãozinho."

Artistas são mais felizes

A Universidade de Ciência e Tecnologia da Noruega, analisou cerca de 50 mil pessoas e chegou a conclusão que o envolvimento com artes e cultura eleva os índices de saúde mental. Quando os pesquisadores analisaram as taxas de depressão especificamente nos homens, eles repararam que as taxas tiveram uma grande redução, a explicação para tal fato pode ter uma relação do indivíduo se sentir mais útil e se envolver mais com outras pessoas devido ao seu trabalho artístico.

Oráculo: Lista 10 e Superblog

Computação

Breve aula de conjugação verbal.



Porque a SD também é cultura.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A calcinha do meu namorado

Outro dia estava conversando com uma amiga que possui um relacionamento um tanto quanto liberal. Depois de muitos xingamentos e patifarias ditas, ela veio me pedir um conselho. "Logo para mim", pensei... Bom a questão é que o namorado da guria gosta de usar calcinhas. Não aquela calcinhas feias da sua , mas calcinhas mesmo: fio dental, com tirinhas e estampa de oncinha. Eu fiquei completamente bestificada, rindo da situação, tentando entender como um homem pode sentir tesão usando essa peça que é tão feminina. Detalhe, fio dental as vezes machuca. Fiquei imaginando aquele pedacinho fino de seda enfiado dentro da bundinha do cara. Imaginei demais? Bom,acho que não.


Usar calcinha não significa abrir mão da masculinidade. É natural homens que gostem de usar calcinha e que namoradas adorem esse tipo de fetiche, mas às vezes a situação não é bem vista pela sociedade e o termo viadagem é colocado como adjetivo para essa louca e deliciosa fantasia. Só porque o cara gosta de usar calcinha de vaquinha não quer dizer que ele é homossexual, mesmo que alguns gays também gostem de usar essa peça de roupa. Se esse tipo de tara não causa problemas na relação, se joga nas calcinhas e se entrega ao prazer uai, mas se uma das partes discorda, ai vem o problema. Algumas ninfetas podem pensar que o companheiro estar perdendo o tesão por elas e possuem o desejo escondido de se entregar ao fio terra. Caramba, que seja! Não sei por quê as mulheres acabam enxergando problemas em satisfazer o desejo anal de seus compaheiros. Além de fazerem doce, acham que o cara também deve se entregar ao mesmo papel pouco libertino entre quatro paredes.


A dica para a minha amiga foi... Como você não achou estranho Flor, então deixa o cara vestir as calcinhas. Se eu fosse você compraria algumas e daria de presente para ele. Ela riu, mas não é que gostou?!

Na Europa é muito comum homens usarem calcinhas. É um habito sexual regional, comum para eles,esquisito para a gente. Volto a realçar que homossexuais são homens que sentem atração por outros homens. Homens que adoram vestir calcinha sentem prazer com esse fetiche e somente isso, assim como existem mulheres que adoram vestir cuequinha. Eu sou uma delas e é muito confortável. Para você, compaheiro de calcinha, saiba que existem cuecas fio dental também, em vários tipos, cores e modelos.


A peça intima não atrapalha o objeto de desejo. Se a sua calcinha sumiu e o seu companheiro adquiriu o hábito, não pense que ele virou uma Maria Purpurina. Só tire conclusões depois de testar o produto diversas e compulsivas vezes entre as quatro paredes do quarto, banheiro, sala, loja, elevador, shopping, etc...

Eu adoraria ter um namorado que usasse calcinha. Por que essas coisas não acontecem comigo, Dionísio?

E você? Namoraria ou transaria com um homem que usa calcinha?

Bye.

Fruto do Conhecimento: O Pecado Original

Tinha prometido essa sessão com o nome de Ensinamentos Bíblicos, mas resolvi mudar para que eu possa falar de outros ensinamentos antigos em vez de tratar de uma tradição só.

Nada mais justo do que começar essa sessão pela passagem que lhe dá nome, ainda no livro de Gênesis. É também o trecho com o qual eu mais gosto de implicar. Utilizarei alguns versículos do site Bíblia Online.

Lembro que esse texto é uma interpretação minha como tantas outras que são possíveis baseadas em um texto cheio de metáforas como esse. Eu mesmo já vi outras duas sobre esse mesmo trecho que me pareceram igualmente lógicas (e que vou postar aqui em breve). Recomendo que leiam e tirem suas próprias conclusões.

E o SENHOR Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal. (Gênesis 2:9)

Todos sabemos que a bíblia não deve ser tomada de forma literal. Aliás, essa passagem nem dá para ser encarada assim. A árvore não era uma macieira e o fruto não era uma maçã como normalmente são representados.  É gritante que a árvore e seu fruto são metáforas para alguma coisa mais importante do que uma simples maçã. Vejo o fruto em questão como o conhecimento e a capacidade de reflexão. Aquilo que nos permite saber o que é bom e o que é mal por conta própria.

Sem contar que, se não era par ao homem comer dessa árvore, por que criá-la?! Por que colocá-la logo no centro do Jardim do Éden? Por que fazer dela uma árvore agradável aos olhos e não um pé de jaca ou qualquer outro fruto feio, nojento e fedido?! Só para tentar o Adão? Uma espécie de Big Brother Sádico?



Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.
¶ E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.
Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. (Gênesis 3: 5, 6 e 7)

Prestaram atenção? Deus sabe que aquele que tem o conhecimento é como Ele, sabendo o bem e o mal. Aqui fica claro que a bíblia tenta relegar o conhecimento apenas a Deus, ou melhor, àqueles que falam em nome d'Ele. A mulher viu que o conhecimento era bom e desejável para dar entendimento. Ao comer o fruto, seus olhos se abriram. Aquele que tem seus olhos abertos não mais se deixa manipular. Daí a importância das ameaças...

Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. (Gênesis 2:17)

Transformar o desejo pelo conhecimento no pecado original e dizer que isso é o responsável pela expulsão do Jardim do Éden (origem de todos os nossos sofrimentos) e pela impossibilidade de viver para sempre é a forma mais eficiente de manter as pessoas longe da árvore e, conseqüentemente, manipuláveis. Uma cerca invisível se assim desejarem. Se ao homem não é permitido conhecer verdadeiramente e só Deus pode saber o que é mal, a "melhor" escolha do homem é obedecer cegamente aos desígnios divinos, transmitidos pelos sacerdotes - por coincidência, entre os mais poderosos nos tempos antigos.

Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. (Gênesis 3:4)

E fica claro que essa história da morte não passa de ameaça pelo que a serpente diz à mulher. Podem argumentar que a serpente mentiu. Talvez, mas quando Deus diz as punições, a mulher sofre com as dores do parto, o homem passa a ter que trabalhar e a serpente perde os membros, tendo que andar sobre o próprio ventre (não coloquei esse trecho aqui, pois fará parte de outra postagem). Parece que Deus esquece a ameaça de morte. Podem dizer que ele faz cumprir a ameaça de morte sem necessariamente falar nela. Se for isso, Ele não teve muita pressa, pois Adão viveu uns 930 anos depois disso.

¶ Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, (Gênesis 3:22)

Essa passagem confirma o que a serpente diz à mulher. Deus não quer que o homem prove o fruto do conhecimento para que continue ignorante. Deus confirma que o homem que conhece é como Deus, sabendo o que fazer de sua vida. E confirma também que o conhecimento não leva à morte, mas a decisão de Deus de afastar o homem da árvore da vida sim. É Deus que decide dar essa punição (se é que ela realmente é dada) e não é uma conseqüência natural de se provar do fruto.

Além disso, dizer que todos somos herdeiros desse pecado é colocar toda a humanidade na posição de ter que compensar um erro que (de fato) não cometeu. De ter que lutar para retornar ao Éden do qual foi expulsa e ser ainda mais subserviente do que aquele que apenas deveria obedecer. Agora é preciso ser o cúmulo da obediência para mostrar que merece retornar ao Jardim.



Pra mim, essa é a lição mais importante da bíblia por estar na sua origem e ser a base estratégica para toda e qualquer manipulação. Quem absorve que deve obedecer a Deus sem perguntar para que não sofra como Adão e Eva está pronto para absorver sem refletir qualquer outro ensinamento bíblico. A moral da história é: pensar é o verdadeiro pecado original e o correto é seguir cegamente as ordens divinas.

Se Deus falar diretamente comigo, eu até aceito, mas seguir as ordens dadas por mensageiros que não podem provar que falaram com Ele são outros quinhentos...

domingo, 24 de janeiro de 2010

O voyeur e o exibicionista

ardendo na chama da vaidade
gozando o calor da contemplação
a ânsia de ser apreciado
satisfeita pelo prazer da invasão

ardor na sensação do patente
combustão oxidada pelo proibido
a coexistência dos adversos
é a labareda humana da libido

em todas esferas da existência
há fogo em relações homônimas
seja entre homem e mulher
ou leitor e blogueiro, sinônimas

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Post Messias #6

Mais uma sessão de links para salvar o fim de semana de quem não conseguir realizar nenhuma atividade sexual não-solitária. Ilustrada pela polêmica da semana: O 3º Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3).



ÁLCOOL
Notícia: Tequila personalizada
Promoção: Concorra a uma garrafa de Serrera del Pecado 2007
Agenda: Expovinis 2010
Texto: Beba vinho, mas beba com moderação
Imagem: Homens e mulheres indo a festas [Esse homem que vai pelado a festas poderia ser eu se ele não fosse direto para a cerveja...]
Notícia: Perfume com cheiro de cerveja
Notícia: Vinhos e o iPhone
Videos: 10 propagandas de cerveja
Video: Cachorro aproveitador [Ou A prova de que é instintivo se aproveitar de mulheres bêbadas]



ARTE
Imagens: Ilusões por Octávio Ocampo
Imagens: Logomarcas Clássicas do Rock
Texto & Imagens: Mark Khaisman - artista de fita adesiva
Imagem: Os Beatles antes dOs Beatles
Texto: Álbum indie beneficente
Texto & Imagens: As esculturas de papel de Karen Sargsyan
Texto & Imagens: Vibe, uma estrela no céu
Video: Rodriguinho canta Fear of The Dark
Texto & Imagens: Ciência também é arte - tomografias de Kai-Hung Fung
Texto & Imagens: Jane Perkins - Imagens a partir do lixo
Filme: One Point O



Panfleto distribuído em São Paulo por entidade católica

SEXO
Blog: Classic Porn
Video: Campanha de prevenção contra a AIDS
Imagens: Oferendas para Onã
Trailer: Room In Rome [Também é arte, mas muito mais gente vai clicar se estiver na categoria de sexo.]
Tirinha: O homem e seus vícios [Também é sobre álcool, mas muito mais gente vai clicar se estiver na categoria de sexo.]
Video: Jogando Wii com a namorada
Imagens: Coleção de 2010
Tirinha: Como aumentar o tamanho do seu pênis
Video: Aprenda a fazer sexo
Imagens: 10 fotos "perigosas"
Imagem: Propaganda do Atlas
Texto: Da arte de ser safada
Videos: O Jardim Secreto para o Éden [Esse quase foi pro OUTROS. Quem assistir vai entender. Recomendo muito (mesmo não concordando 100%).]
Lista: 10 coisas do mundo adulto
Imagens: Atrizes pornô com e sem roupa
Imagens: Novo modelo de consolo
Imagens: Tarados por estátuas
Imagem: Os números da pornografia



OUTROS
Imagem: Placar de Ressurreição
Texto & Imagens & Video: O supercanhão da 2ª Guerra Mundial
Imagem: As criaturas e seus propósitos
Imagem: O senhor está nos espancando por sermos malvados [Imagem em inglês, porque eu tive preguiça de traduzir e publicar aqui.]
Texto: Gelosias e grades: espaço público e privado no Rio de Janeiro
Texto: O que está errado na educação infantil?

SOCIEDADE DIONISÍACA

E-mail & MSN: sociedadedionisiaca@gmail.com
Chat: group109667@groupsim.com

O Absurdo Normal

o livro O Homem dos Dados, do psiquiatra de pseudônimo Luke Rhinehart, é o mais Dionisíaco que eu conheço (sim, ainda mais que os livros do Marquês de Sade), além de ser o melhor que já li.

o livro explora o ego, a liberdade e o acaso. lida particularmente com as maneiras pelas quais as sociedades modernas limitam a espontaneidade e criatividade dos indivíduos. o autor-protagonista vê a razão e a seriedade como uma forma de doença mental e a sua narrativa, que em muitos momentos desperta risadas apesar de sua profundidade, apresenta forte elementos niilistas. no tocante à moral, a ideia niilista central está na fala de um dos personagens de Os Irmãos Karamazov de Dostoiévski:

"Se Deus está morto, então tudo é permitido."

a visão de que não existe uma moral natural e que, portanto, nenhuma ação é preferível à outra é um dos pressupostos do livro.

a morte do sentido niilista também está fortemente presente e, aqui, cito a mim mesmo:

se em algum mísero instante você puder contemplar o quão exatamente todos os valores que o rodeiam são infinitamente artificiais, então experimentará a divina percepção da mediocridade de tudo, da total ausência de sentido em quaisquer metáforas e da necessidade visceral de ser selvagemente abatido por algo de real: sua mente enfim será libertada e, ainda que encarcerado fisicamente, você será o mais feliz dos mortais ao distinguir-se completamente do todo e ao fazer-se capaz de orientar todos os seus esforços pra vivenciar os únicos momentos sinceros de toda a sua vida, fim último da existência

talvez, a coisa mais interessante de O Homem dos Dados seja o conceito que podemos ser várias pessoas e entreter vários lados de nossas personalidades.

A História

Luke Rhinehart é um tipicamente entediado psiquiatra em um tipicamente infeliz casamento, vivendo uma vida de quieto desespero. seus colegas vêem sua mesmice como comum - inevitável, na verdade, para um homem de meia idade. seus pacientes nunca pareciam melhorar. Luke cogitou suícidio, dedicou-se a estudar o Zen, mas, não importa o que fizesse, sentia-se como o Caio Fernando de Abreu em Morangos Mofados:

"Já li tudo, cara, já tentei macrobiótica psicanálise drogas acupuntura suicídio ioga dança natação cooper astrologia patins marxismo candomblé boate gay ecologia, sobrou só esse nó no peito, agora faço o quê?"

ao final de uma festa na sua casa, Rhinehart toma uma decisão que muda a sua vida inteira, baseando-se no rolar de um Dado. a partir desse momento, a personagem embarca num experimento psico-filosófico no qual os números de um dado são usados para ditar as ações (muitas vezes obscenas) a serem tomadas na sua vida. funciona da seguinte maneira: cada vez que se quer tomar uma decisão, associa-se as possibilidades a números e lança-se o dado. Luke gradualmente integra o Dado em todos os aspectos de sua vida - e sua obsessão acaba transformando-se em um dilema filosófico.

A Minha História

contagiado pela leitura de O Homem dos Dados e com a ideia de largar tudo e viver na aleatoriedade (coisa que ainda me comove, digamos, muito), decidi fazer um experimento que muito se assemelha com o evento que desencadeou a introdução do Dado na vida de Luke.

uma vez, fomos eu e um grupo de amigos para a Fazenda (a mesma do post do Will de 18 de janeiro), além de um casal, desconhecido da maior parte dos viajantes. não levou 1 minuto até que todos os homens da viagem ficassem embasbacados com a mulher comprometida: linda, simpática, inteligente, gostosa, culta, interessante... depois de dois dias em que só havia um assunto enquanto ela não estava por perto, cogitei a ideia (nem um pouco nobre) de me livrar da sensação de que o pior fracasso é quando você nem ao menos tenta. como agir dessa forma não é moralmente aceito, a probabilidade de eu me dar mal era quase de 100% e, principalmente, eu estava louco pra brincar de Dado, reuni a galera, and I made my call: "jogo o dado e, se cair o 6, eu chego nela". vocês bem podem imaginar o espanto geral quando Dionísio colocou a face 6 estampada pra cima bem no meio da mesa. mesmo com os Deuses ao meu lado, fui ainda desacreditado: não sabiam eles que não se desobedece o Dado. chegado o momento fatídico, me surpreendi com a sua reação: ficou completamente dividida entre o que ela queria fazer e o que ela tinha que fazer. foi nesse momento que tomei a decisão errada (o que provavelmente não teria acontecido se tivesse perguntado ao Dado): ao invés de beijá-la, optei por trocar emails, evitando que se sentisse culpada e acenando para a possibilidade de uma aproximação menos fugaz. o restante do feriado foi constantemente entrecortado por trocas de olhares, e a comunicação seguiu pelas duas semanas seguintes via correio eletrônico. ao fim de muita hesitação, sua decisão foi a cômoda: ela não pôs fim ao seu namoro. se ela tivesse uma memória física de mim, penso que as coisas poderiam ter sido diferentes. me fudi: fiquei super apaixonado por um bom tempo.

A Religião

o Homem dos Dados funda uma religião onde a aleatoriedade é a Divindade. ainda que muitos acreditem no determinismo, como o filósofo e matemático francês Laplace,

"Nós podemos tomar o estado presente do universo como o efeito do seu passado e a causa do seu futuro. Um intelecto que, em dado momento, conhecesse todas as forças que dirigem a natureza e todas as posições de todos os itens dos quais a natureza é composta, se este intelecto também fosse vasto o suficiente para analisar essas informações, compreenderia numa única fórmula os movimentos dos maiores corpos do universo e os do menor átomo; para tal intelecto nada seria incerto e o futuro, assim como o passado, seria presente perante seus olhos."

o relevante aqui é que ninguém discorda que, pelo menos até onde a nossa inteligência alcança, o comportamento do Universo é aleatório. para quem se interessa em como a aleatoriedade afeta a nossa vida cotidiana, recomendo a leitura de O Andar do Bêbado, de Leonard Mlodinow.

O Homem dos Dados faz uma paródia ao Salmo 22:

"O Dado é o meu pastor; nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos, e eu me deito;
Guia-me a águas tranqüilas, e eu nado.
Destrói a minha alma;
Guia-me pelas veredas da justiça.
Por amor à causalidade.
Sim, ainda que andasse pelo vale da sombra da morte,
Não temeria o mal, pois o Acaso está comigo.
Teus dois cubos sagrados me consolam.
Preparas uma mesa para mim
Na presença dos meus inimigos.
Unges a minha cabeça com óleo,
O meu cálice transborda.
Certamente a bondade e a misericórdia e o mal e a crueldade
Me seguirão
Todos os dias da minha vida:
E habitarei para sempre na casa do Acaso."

O Porém

a aleatoriedade é comprometida no livro pelo fato que o próprio Luke é quem decide as opções do dado - mesmo ele estando ciente disso e procurando sempre incluir pelo menos uma opção que o desagrade muito.

fico pensando.. e se outra pessoa escolhesse as opções do Dado?

ou: será que Luke iria gostar da dominação psicológica do BDSM?

ou ainda: e se existisse um Livro que contivesse todas as possibilidades de ações, além de uma maneira de acessá-las através do Dado? nesse caso teríamos o perfeito estado da aleatoriedade!

O Absurdo Normal

O Homem dos Dados propõe que nós dêmos a oportunidade de todos os nossos caprichos aflorarem. e não são justamente esses sentimentos reprimidos os mais verdadeiros, os mais representativos de nós mesmos? por isso sou aficcionado por excentricidades, particularidades, singularidades, subjetividades, peculiaridades e arbitrariedades, uma vez que reconheço sinceridade na diferença. numa sociedade em que quase tudo é fachada, nada é mais belo que a Verdade

o seu Absurdo
parece-me tão normal
quanto o seu Normal
soa-me um completo absurdo

qualquer pessoa ou situação tem algo de Verdadeiro para me acrescentar.. eu gosto de acreditar nisso.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Beijaço Gay

Haverá um protesto contra a homofobia amanhã (22/01/2010) às 20h no Armazém do Chopp no Rio de Janeiro (Rua Marquês de Abrantes, nº 66 - Flamengo). Duas garotas foram expulsas do estabelecimento por se beijarem. Não existe forma mais divertida de protestar contra isso do que lotar o lugar e promover beijos não-cristãos por lá. Se você é hetero e tem medo de ser agarrado(a) e estuprado(a) na manifestação, leve namorada(o), ficante ou amiga(o) e beije essa pessoa. No meio do mar de ósculos, isso fará pouca diferença. O importante é ter o maior número de pessoas envolvidas no protesto.

A idéia é reservar uma mesa grande e consumir nada além de água com gás. Quando tiver um bom número de pessoas, começa o "beijaço". Vale amiga beijar amiga, amigo beijar amigo, beijos fofos, selinhos, abraços carinhosos... Sem baixaria. Alguém deve filmar, porque provavelmente haverá represália.

Recebi isso num e-mail encaminhado. Devido ao caráter emergencial (o protesto é amanhã), resolvi divulgar logo e estou tentando entrar em contato com as garotas que começaram essa história para confirmar tudo. Consegui falar com a Juliana, que redigiu o e-mail. Vejam o que ela disse.

"Eu estava com elas no bar e, sim, o cara ficou atrás da nossa mesa nos acuando, falando que preferia a praça vazia a ter pessoas como nós no estabelecimento."


Também falaram sobre o assunto...
Ancelmo Góis (sob o subtítulo de Abaixo a Homofoia)
Parou Tudo
O Dia (Mas eu não achei. Se alguém encontrar, me passa o link.)
Gurpo Arco-íris

Proponho ainda que, após o protesto, o lugar seja boicotado até que as garotas recebam um pedido de desculpas ou até que o gerente seja punido.

Quem vai?

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A Mardita #5


Porque toda a criatura de Deus é boa...(Timóteo 4:4)

Últimas Ceias

O artista britânico James Reynolds, de 23 anos, recriou e fotografou pedidos de última refeição feitos por prisioneiros no corredor da morte nos Estados Unidos, criando a série Últimas Ceias. Ele espera reunir pelo menos 50 fotos para produzir um livro sobre o trabalho.

Cada refeição pode custar até U$40, mas alguns presos fazem escolhas bem baratas. O pedido mais comum é por refeições de redes de fast food, como a do KFC da primeira foto. Já Louis Jones Jr., executado por sequestro, estupro e assassinato em Indiana, em 2003, pediu apenas frutas.

Nem sempre o pedido é por comida. Cigarro pode, mas analgésicos não. [Não se contentam em matar os presos, querem que eles sofram.] "Certa vez um prisioneiro quis um revólver, mas obviamente não conseguiu", diz Reynolds.

Um homem condenado por estupro e assassinato no Texas resolveu que queria coca-cola, chiclete e cebola. Lewis Gilbert executado por assassinato em Oklahoma, em 2003, pediu duas caixas de sorvete de baunilha e várias casquinhas antes de morrer. James Hudson, também condenado por assassinato, optou por uma bolacha e seis garrafas de Coca-cola, na Virgínia, em 2004.

"Fiquei fascinado em saber por que cada um escolheu determinada refeição. Acredito que os pedidos são um retrato do prisioneiro, algo que revela um pouco da personalidade dele", disse Reynolds à BBC Brasil.

Ele encontrou explicação para apenas uma refeição: o prisioneiro Victor Feguer, condenado à morte por assassinato em Iowa, em 1963, que pediu para comer uma azeitona antes de ser executado. "Ele disse que gostaria que a azeitona germinasse e se tornasse uma oliveira dentro dele."


Se fosse eu (ou o McGyver), pediria coca-light e mentos, faria uma bomba e escaparia dali.