sábado, 15 de maio de 2010

Circle Jerk ou Masturbação Coletiva

Quem disse que masturbação precisa ser um ato de prazer solitário? Ela pode ser praticada a dois, a três, a quatro, a cinco... E não necessariamente com fins sexuais, como acontece quando ela faz parte de uma boa preliminar. Da mesma forma que você se diverte sozinho quando está sozinho, você pode se divertir sozinho estando em grupo. É disso que trata o circle jerk.

A prática nasceu como uma atividade de adolescentes que formavam um círculo com um biscoito ou uma rosquinha no meio. Ejaculavam no doce e aquele que gozasse por último deveria comer a guloseima de cobertura especial. Nojento, eu sei. Mas felizmente o caráter competitivo da coisa não é o mais importante. No fundo a competição era só uma forma dos adolescentes americanos babacas competirem entre si para medir algum critério de virilidade. Mas o evento é na verdade uma experiência coletiva de masturbação. Serve inclusive para deixá-los mais confortáveis quanto às próprias práticas.

O circle jerk evoluiu e a nojeira foi deixada de lado. Passou a ser uma reunião de coleguinhas para se masturbarem. Aliás, uma vez que se elimine o caráter ejaculatório, por que a reunião abarcaria exclusivamente membros do sexo masculino? Por que não simplesmente reunir amigos (meninos e meninas, garotos e garotas, homens e mulheres, senhores e senhoras, damas e cavalheiros, velhinhos e velhinhas) para gozar o momento?

Eu sei que não é a coisa mais fácil do mundo reunir pessoas que se disponham a partilhar tal intimidade, ainda mais quando elas não estão necessariamente atraídas umas pelas outras, mas confiem em mim quando eu digo que é possível. Há quem prefira fazer com amigos íntimos e há quem prefira fazer com desconhecidos. Escolha o que for te deixar mais confortável. Também é importante encontrar um local adequado, em que a chance de interrupções (por pais, irmãos ou polícia) seja mínima.

Uma vez reunido o grupo ideal, seja ele só de meninos, só de meninas ou misto; só de heterossexuais, só de homossexuais, só de bissexuais ou misto (nada disso importa quando a idéia é só a masturbação), é importante que todos entendam a proposta. Definir se vai ser cada um no seu quadrado, se poderá haver troca de carícias, se sexo oral é permitido ou mesmo se a coisa pode evoluir pra uma suruba é vital para o sucesso do evento. Claro que todas as regras são fluidas, mas devem estar claras no começo e quem não se sentir confortável tem que estar seguro  pra reclamar ou sair.

Apetrechos são "indispensáveis". Falo de revistas, filmes, consolos, bananas, vaginas artificiais, lubrificantes... Tudo isso ajuda a animar as pessoas e a aumentar o prazer. Sugiro também alguns contos, de preferência relatos pessoais dos presentes. Debater as técnicas também é válido. Tudo isso além de excitar pode dar ao evento um clima de brincadeira que ajuda a quebrar o gelo.

É natural que as coisas demorem um pouco a engatar. Além dos apetrechos supracitados, uma bebidinha sempre cai bem. Sugiro vinho ou tequila... Depois que o primeiro começar, a coisa funciona como um efeito dominó e todos vão perdendo a inibição, então não se acanhe de dar o pontapé inicial. Aliás, a visão de outra pessoa se masturbando ou a sensação de que alguém está vendo você se tocar pode ser extremamente animadora. Só não pode receber as pessoas em sua casa enquanto consuma o ato. Pode ser meio assustador. Ou não...

Também não se pode esquecer de fornecer algo para as pessoas se limparem. Você não vai querer encontrar o sofá manchado no dia seguinte. A melhor opção é o papel toalha. Não absorve tanto quanto o higiênico ou lenços de papel, mas também não se desfaz nem gruda em toda parte. Quando todo mundo acabar, sirva salgadinhos, bote um filme legal ou retome a conversa, talvez até comentando sobre as impressões de cada um. Isso vai evitar que o clima fique estranho e o evento mingüe. Com sorte, vocês partem para um segundo round.

É muito importante o uso de CAMISINHA nos objetos e até quando se fizer masturbação trocada, principalmente quando os envolvidos não são tão íntimos. Pra quem não sabe, existe também camisinha de dedo, à venda em qualquer sex shop.

Apreciem sem moderação e mandem seus relatos para sociedadedionisiaca@gmail.com.

9 comentários:

  1. que bizarro!!! vc já fez isso cara!?!!!??! difícil é achar garota que tope!!

    ResponderExcluir
  2. Uma pessoa vendo a outra se excitar pode acabar ficando excitando..
    !!!

    ResponderExcluir
  3. Complicado é não rolar sexo de verdade nisso! Imagina várias mulheres se masturbando na sua frente? Tão querendo! Vc pegou essas daí pelo menos ou só ficou olhando mesmo? ;)

    ResponderExcluir
  4. Eu ñ faço essas coisas ñ. Sou um menino d deus!

    ResponderExcluir
  5. FODA! mesma dúvida do anônimo! vc chegou a concretizar o ato??? hahaahahahaahahaahaa deve ter sido foda, vc devia contar aqui no blog naquele "testemunho de fé" que escreveu uma vez!!

    ResponderExcluir
  6. quando vemos outras pessoas excitadas acabamos ficando tbm. eu faço é muito bom

    ResponderExcluir
  7. eu bato pramin e pro meu amigo mas senpre acabamos um pagando boket para o outro ele goza na minha boca eu gozo na boca dele e depois nos trazamos ele me come eu como ele e sem camisinha eu gozo no rabo dele ele goza no meu rabo

    ResponderExcluir
  8. Eu curtia experimentar

    ResponderExcluir
  9. busco grupod e heteros pra punheta coletiva ou nudismo no RJ, heteros apenas ate 30 anos, meu skuype e jonassfez@hotmail.com

    ResponderExcluir