sábado, 6 de março de 2010

Demissões por questões sexuais

Vi duas notícias ontem que me deixaram meio incomodado. Ambas tratam de demissões por causa de um moralismo besta.

A primeira foi sobre duas professoras que foram demitidas da escola onde trabalhavam na Flórida por terem feito sexo com um outro professor. Tá certo que foi dentro das dependências da escola e isso não é muito bem visto pelos patrões, mas quem é que nunca fez ou fantasiou fazer sexo no local de trabalho?

Amber Schmeider admitiu ter feito sexo com Heath Miller duas vezes, mas garantiu que nenhum aluno viu. A outra professora disse que foi intimada por Miller a fazer sexo com ele por mais de uma vez, mas os investigadores não acreditaram nela.

Os casos envolvendo as professoras vieram à tona durante a investigação em que Heath Miller, que foi eleito o professor mais popular da escola em 2007, foi preso em abril do ano passado acusado de envolvimento sexual com uma estudante. De acordo com o relatório policial, Miller manteve relações sexuais na sala da banda com pelo menos uma professora antes de outubro de 2007. Uma outra mulher que se envolveu com o ex-diretor disse à polícia que ela e Miller fizeram sexo com a permissão da mulher dele.

É isso mesmo?! O cara come uma aluna e pelo menos duas professoras COM A PERMISSÃO DA ESPOSA?! Não é atoa que ele foi eleito o professor mais popular. Ele é foda! Na minha opinião, não deveriam levá-lo preso, deveriam construir uma estátua em sua homenagem.

A segunda notícia foi sobre uma policial que perdeu uma ação para ser readmitida na polícia da Austrália. O motivo pra ela ser demitida? Ela é tarada.

Jessica Parfrey foi demitida em setembro de 2007, apenas cinco meses após sua entrada na polícia. Ela foi acusada de tentar fazer sexo com um supervisor, oferecer sexo oral a um colega em um banheiro de um pub e ter assediado outro em um estacionamento, dizendo: "Eu sei que você me quer". A jovem também deixou seis mensagens de texto no celular de outro colega, oferecendo-se para ajudá-lo a estudar para os testes da polícia. Ela afirmou que iria tirar uma peça de roupa para cada pergunta que ele acertasse. [Método de estudo muito digno na minha opinião.]

Para o comissário assistente Michael Corboy, a conduta da jovem não condizia com os padrões esperados de um oficial de polícia. Em sua defesa, Jessica destacou que foi demitida injustamente, porque a maioria dos "assédios sexuais" alegados pelos colegas ocorreu fora do ambiente de trabalho, quando eles estavam bebendo.

Deixa eu ver se eu entendi... Eles haviam bebido um pouco, não estavam de serviço, a colega gata se oferece pra fazer um boquete E ELES NEGAM?! Pior que isso, ainda denunciam a mulher! Qual o problema desses caras?! Tá, é fácil imaginar o problema deles: não gostam da fruta. Ainda assim, não precisava denunciar a colega. Alguém avisa pra ela que no Brasil a polícia é diferente e paga uma passagem pra moça? Eu comeria fácil.

20 comentários:

  1. se você acha esse cara foda, dá uma lida em 120 Dias para ver o que os libertinos fazem com a permissão das esposas, hahah

    eu não suportaria viver em lugares onde houvesse tanta gente "certinha" assim (me refiro aos caras que denunciaram a policial)

    ResponderExcluir
  2. Professor comendo aluna... normal (dependendo da idade, claro), mas fato que não é uma atitude nada louvável.

    ResponderExcluir
  3. Ñ acho q seja nada louvável. Sei q pode prejudicar a aluna, mas tb pode ajudar muito. Quando se trata de sexo, as pessoas têm mania de só ver o lado negativo da coisa. Triste isso.

    ResponderExcluir
  4. Não, Will, professor não está lá para ter esse tipo de envolvimento com alunos. E numa escola... francamente, o cara não devia ser professor (digo escola porque há uma diferença entre escola e curso). Atrapalha a relação em sala de aula e bem... é crime.

    ResponderExcluir
  5. Assim como um barman ñ está lá para ter esse tipo de envolvimento, mas para fazer bebidas. Assim como uma secretária não está lá para ter esse tipo de envolvimento, mas para dar assistência. Assim como um cliente não está no supermercado para ter esse tipo de envolvimento, mas para comprar coisas. Assim como algumas meninas DIZEM que não vao à boate para terem esse tipo de envolvimento, mas para dançar. Normalmente ñ saímos d casa procurando essas coisas, mas desejo e tesão surgem sem muito aviso prévio.

    Ele deveria ser professor sim. Ñ tem nenhuma regra q diz q professores devem ser assexuados, ou tem? Claro q existe o tal código d ética q diz q ele ñ deve se envolver c/ uma aluna e, se fosse malandro, esperaria ela se formar. Ainda assim, ñ há erro no q ele fez.

    Eu sei q foi crime o q ele fez. Tanto q ele foi preso como eu disse na matéria. Minha intenção ñ é questionar a punição, mas questionar o "crime". A matéria ñ diz a idade da garota, mas eu duvito q fosse tão nova assim. Aposto q era consciênte do próprio corpo e queria dar pro professor. Pq isso tem q ser crime?

    Eu sei q t ensinaram q isso é errado, Kika, mas não precisa ser assim. Em alguns casos pode até dar certo.

    ResponderExcluir
  6. Não, Will, não me ensinaram que é errado. Você pode até não achar, mas eu penso, sabia?

    Eu simplesmente acho incabível esse tipo de comportamento de um professor que, pela própria matéria que você colocou, parece não ter nem um pingo de ética e respeito com a posição que ele ocupa. E você supõe que a a aluna tenha idade para discernir o que é bom para ela, mas isso de fato não foi explicitado na matéria, então nem vou entrar nesse ponto. O que me choca é um adulto no exercício da profissão se render a um tesão. Pra isso existe a racionalidade e a responsabilidade.

    Mas para não ser chata... eu já vi relação entre professor e aluno dar certo sim. Conheço um professor que hoje mora com uma menina que foi aluna dele e um que namora outra para quem deu aula. Sabe, pode dar certo? Pode, assim como quase tudo que tem o lado negativo e positivo, mas eu, particularmente, não concrodo. A função do professor fica de lado numa situação dessa? E a do aluno? Um professor responsável em sala de aula por um aluno com quem faz sexo? Sabe, não dá...

    Ah, como já vi aluno e aluna dando em cima de professor. Se fosse ceder a todo tipo de tentação, professor estaria sempre fodido... ou comendo...

    ResponderExcluir
  7. Ñ vi falta de ética nem falta d respeito não. A matéria diz que ele ganhou a eleição de professor mais popular e isso raramente se faz só sendo simpático e bonitão. Nas vezes em q vi coisa parecida, o professor em questão era consideravelmente competente. Normalmente mais competente que simpático até.

    Não vejo como um adulto "se rendendo" a um tesão, mas concordando com ele. É diferente vc se deixar seduzir por qualquer um de você em dado momento desenvolver um interesse e agir de acordo. É racional agir de acordo com uma dada vontade, desde q pesando. O fato dele ter feito ñ quer dizer q ñ pesou. Nem dá pra ter certeza d q pesou, mas...

    Já vi caso de professor e aluna se envolvendo também. Ele era tão responsável por ela quanto era com todos os outros. A função de professor fica de lado?, você pergunta. Eu digo que sim. É possível separar as coisas e é tolice fazer questão de mantê-las juntas.

    Legal é orientar quanto aos problemas dessa conduta, mas não tratar o professor como um criminoso.

    Quanto ao último parágrafo, como eu disse, ceder a todo tipo de tentação é bem diferente de comer uma aluna por quem ele se interessou. E da forma como vc falou no final, parece q fazer muito sexo é errado. "se fosse ceder a too tipo de tentação, professor estaria sempre comendo..." Q bom pra ele, ué.

    ResponderExcluir
  8. Bom, não vou comentar seu primeiro parágrafo porque não passa de mero achismo seu.

    E tipo... se ele tivesse pesado, não teria dado na merda que deu, não acha? Ele sabe bem no que pode dar tendo certos tipos de atitudes como professor, sabe bem as consequências... vale mesmo a pena jogar tudo por alto, toda uma vida talvez por uma mera criança de escola? Não posso acreditar que uma pessoa assim seja responsável. E no que deu o prazer momentâneo e super responsável dele? Só coisas boas, né?
    Ele é criminoso porque cometeu um crime. Nada de pejorativo nisso.
    Acho super válido orientar, mas para esse tipo de conduta... francamente, qualquer professor que se forma sabe bem o que acontece se se envolver com alunos.

    Não distorça minhas palavras. Fazer sexo muitas vezes é algo pessoal e não discutível. O caso é fazer sexo com alunos de escola... reponsabilidade zero e maturidade, também.

    E vou te contar uma, é simplesmente muito fácil ter um caso com um aluno. Muito mesmo. Quem sabe um dia professor não tenha a função além de ensinar, entreter sexualmente os alunos. Os alunos vão adorar, porque "não tem onda maior do que pegar um professor". Palavras de uma aluna, aliás.

    ResponderExcluir
  9. Não vejo problema em professores se envolverem com alunos(as),é natural,normal,já senti atração por professor e flertei na maior cara de pau,mas fora do ambiente de trabalho dele,porque seria considerado uma coisa amoral..Só porque o cara é professor não quer dizer que ele não pode manter um relacionamento com um aluno.Na minha faculdade tem professores casados com alunas.O problema é que as pessoas encaram a coisa como falta de respeito,e sinceramente isso é um absurdo porque não é falta de respeito dar prazer a uma pessoa que vc sente desejo.Antes de ler esse texto pensei que isso seria relacionado ao fato de muitos profissionais assediarem colegas,alunos e outros profissionais abaixo do seu cargo em ambiente de trabalho,isso é falta de vergonha,ai partimos para o fato de poder e dominante.No meu caso eu fui a dominante mesmo,queria e flertei,mas muitas gurias são assediadas por professores,e elas não gostam,como em uma balada quando o cara passa a mão na sua bunda e vc bate nele,é natural as pessoas não gostarem desse tipo de abordagem.Gostei do texto.Pegar professor é como pegar qualquer outro homem,mas se ele estiver de gravata,com giz e régua na mão portando um humor pervertido,isso pode até apimentar o encontro,hauhauhauahauhau,zueira.Não consigo julgar esse texto errado,mesmo sendo vitima de assédio em ambiente de trabalho,se o cara não forçou o sexo com as alunos e não colocou uma posição de dominante da situação,ele não praticou um crime,mesmo a guria sendo menor,quase adulta responsável por seus atos.É fato,todo mundo gosta de tranzar no trabalho,isso meche com a mente das pessoas,é errado,proibido,é gostoso uai,talvez o professor tenha ensinado algo construtivo para ela pow,aulas de sexo ,que massa.Eu queria ter tido aula da sexo na escola,eles deveriam ensinar para a gente,como chupar,acariciar e tantas outras coisas,assim não cometeríamos gafes ao começar a vida sexual.A nossa sociedade tem que mudar muito com relação a sexo.

    ResponderExcluir
  10. Meu primeiro parágrafo não é puro achismo, mas tinha alguma coisa disso sim. Assim como tem muito achismo em todos os seus, Kika.

    Repito q o fato dele pesar ñ faz c/ q ele deixe d fazer aquilo q VOCÊ (e mais um monte d gente, é verdade) considera errado. Ele simplesmente pesou e achou que valia a pena. Que havia uma chance d ser pego ou quem sabe q valeria a pena ser preso por comer aquela aluna. Só pq vc faria diferente ñ significa q ele ñ pesou as coisas.

    Nada de pejorativo em chamá-lo de criminoso por ter cometido um crime. Mas há algo de pejorativo em tratá-lo como criminoso por ele simplesmente ter feito algo anti-ético. Pq eu tenho certeza d q vc trataria da mesma forma se a aluna fosse maior de idade. O problema ñ é o crime, é a ética suposta de uma relação professor-aluna.

    Sim, qualquer professor que se forma sabe bem o que acontece com os alunos. E foi nisso q eu pensei qnd disse q falaram pra vc q é errado. Em todo caso, cabe a cada professor concordar ou não com a lógica dessas conseqüências e respeitar ou não essa regra.

    Pq chamar de irresponsável o fato dele fazer algo que não necessariamente tem conseqüências ruins? E o que tem de imaturo em ter vontade de transar com alguém e fazê-lo?

    Fácil ou não, não são todos os professores que conseguem assim como não são todos os professores que tentam. E os que tentam, não necessariamente tentam com todo mundo. Só defendo que ele pode ter transado com ela por que ambos estavam a fim e queriam isso. Não há nada de errado nisso e não é a profissão de um deles que muda alguma coisa.

    Sapa! Concordo c/ tudo aí. Só acho que nem sempre qnd o cara dá em cima de alguém abaixo dele ele tá se aproveitando do poder. Sei que fica mais complicado recusar, mas tb o cara não tá necessariamente pecando.

    ResponderExcluir
  11. "Pq eu tenho certeza d q vc trataria da mesma forma se a aluna fosse maior de idade."


    Will, falou um monte de merda sobre o que eu pensaria ou não, mas tudo bem. Antes de dizer que penso algo, pergunte-me. O problema é o professor fazer sexo com um aluno de escola, completamente diferente de se envolver com um aluno maior, de faculdade e tal. Muito diferente.

    Imaturo é simplesmente o ato de transar com uma aluna da escola onde dá aula. Nada mais do que isso. Eu não concordo com esse tipo de atitude. Nõa concordo pelo papel que o professor tem, pelo que ele representa, pela conduta que passa aos que ensina... não acho mesmo certa essa atitude dele.

    Will, leve esse professor para a sua sociedade alternativa e ponto. Talvez assim não vai haver nada de errado, nem de criminoso e tampouco pessoas que não pensem, como pareceu ter dito para mim, discordado de atitudes assim.

    Ah claro, professor deveria mesmo comer alunos, abrir as pernas também, no caso de professoras... por que não? Mas é melhor não chamar mais de professor e sim de prostituto. Não tenho nada contra essa profissão, aliás, mas francamente... acho que deveria ter estudado o Kama Sutra em vez de literatura.

    ResponderExcluir
  12. Nossa ela tá com raivaa^^


    hehehhehehe

    ResponderExcluir
  13. Já que eu não posso falar merda, vou só perguntar...

    Vc sabia que podem haver alunos maiores de idade ainda no colegial, Kika? Nesse caso, seria um problema pra vc ou ñ? E se fosse uma aluna com 17 anos e 11 meses? E se a lei dissesse que é maior de idade quem tem mais de 15 anos? E se a lei não definisse quem é maior de idade?

    O conceito de maioridade é ou não arbitrário? A maturidade psicológica varia ou não varia de indivíduo pra indivíduo?

    Se um aluno transar com uma aluna na escola, é imaturo? Se um médico transar com uma paciente ou com uma enfermeira no consultório, é imaturo? Se um empresário transa com a secretária em seu escritório, é imaturo? Se a sua resposta for não para alguma das questões anteriores, eu pergunto por que então é imaturo um professor transar com uma aluna na escola onde dá aula?

    Qual é o papel que o professor tem pra vc que presume que fazer sexo vai contra isso (em vez de simplesmente não ter relação)? O que ele representa? Qual a conduta que ele está passando e que não deve passar? Você diz que não acha errado se for com um aluno maior, de faculdade, mas o papel do professor e a mensagem que ele estaria passando não são exatamente os mesmos?

    E eu não disse que professores devem transar com alunos, mas acho errado que se pense tão enfaticamente que não devem. Chame do que quiser, mas aí você vai ter que chamar de prostituto qualquer profissional que faça sexo ou ao menos qualquer um que o faça com um possível cliente. Ou, repito, só por ser professor ele deve ser assexuado? A profissão realmente importa tanto assim quando se trata de sexo?

    ResponderExcluir
  14. É imaturo por simplesmednte ser um aluno de escola. Quantas vezes terei de repetir isso? Acho que um professor não deve fazer sexo com um aluno. Há alunos que têm maturidade sendo mais jovem? Certamente. Mas o lance é abrir exeções? Como abrir exceções num caso desse? Como avaliar maturidade? Permitir que haja esse tipo de conduta com essa alegação de maturidade pesicológica? Difícil. Quem sabe um dia isso não seja exatamente normal e aceitável. Professor além de ensinar, pode levar aluno para a cama. Sabe, isso não entra na minha cabeça, sinceramente.

    Professor não deve ser assexuado, mas deve ter o bom-senso de não misturar o trabalho e a função que ocupa para ter um prazer com um aluno.

    O papel do profersor não é exatamente o mesmo nos diferentes níveis de educação e você certamente deve ter percebido o quão diferente é a relação aluno-professor dentro de uma escola, um curso ou uma faculdade. Não é a mesma coisa. Dentro de uma escola o papel de um professor é mais importante para a formação de um aluno, e não estou falando de conteúdo. Não estou dizendo que fazer sexo é errado, mas é importante que não aja inconsequentemente frente aos próprios alunos (eu realmente acho que uma pessoa é inconsequente tendo essa postura). Por isso a responsabildiade e conduta do professor dentro de uma escola é tão importante.

    Ah, Sapa, não estava com raiva quando fiz o comentário anterior. Impaciente, certamente.
    E é tão normal eu discordar do Will. Acho que estranho vai ser quando estivermos de acordo. Mas como a diferença só faz somar (trocadilho tosco), então dá pra continuar tudo numa boa.

    ResponderExcluir
  15. É... Realmente ñ tá entrando na sua cabeça. Isso nunca vai ser normal e aceitável enquanto surgirem posturas como essas, de criticar a atitude tendo a regra como justificativa em vez de se criticar a regra tendo a atitude (e a lógica) como justificativa. É isso q propomos aqui.

    O q eu digo é q a função e o prazer não necessariamente se misturam quando se faz algo assim. Quem faz questão de misturar é sempre mais quem está de fora do q quem estaria de fato misturando.

    Pois é, Kika. A relação entre professores e alunos é diferente na faculdade, mas não o papel. Com alguns professores nos tempos de escola eu tive a mesma relação q tenho com os da faculdade. A diferença está nas idéias ligadas aos termos "faculdade" e "escola". Esses termos fazem a diferença na relação, mas não tanto no papel.

    ResponderExcluir
  16. E a outra visão também não entra na sua cabeça, Will. Propor outras formas de pensar é totalmente válido, mas querer que todos acatem isso...

    Eu acho legal discutir regras, mas a linha que separa um crime de um ato legal muitas vezes é tênue demais. Quando falei em maturidade, referia-me exatamente a isso. Até que ponto um ato de fazer sexo comm um aluno poderia ser normal? Até que ponto poderia ser saudável e não haver interferância no convívio e no aprendizado do aluno? Difícil demais determinar isso. E para que não haja prejuízo para ninguém e um meio-termo insolúvel, fico com a posição contra. Exceçõs podem haver? Claro! Quem não lembra da professora que teve filhos com um aluno se não me engano, nos EUA? A professora foi presa, mesmo o aluno dizendo que a amava e tal... enfim, isso sim parece injusto. Cada caso é um caso, mas à primeira vista, não acho esse tipo de envolvimento bom.
    E convenhamos que a reportagem que você postou não favorecia em nada o acusado. O cara usa as dependências da escola para fazer sexo com umas professoras e ainda é acusado de ter tido um caso com uma aluna. Será que essa estudante o defendeu? Não sei... mas com essas poucas informações, o cara agiu mal, cometeu um crime e ponto.

    O papel do professor é o mesmo em todas as esferas: ensinar. Mas fato que dependendo de onde o cara dar aula, é uma função que vai muito além dessa. Não vou nem entrar nessa discussão, mas a pedagogia tem uma literatura enorme sobre esse assunto (apesar de eu ter relutância quando se fala em pedagogia).

    E bem... garanto que a relação não é a mesma entre professor e aluno dentro de uma sala de aula e numa faculdade. Há uma hierarquia diferente, o professor não está ali como responsável por nada senão cumprir meramente o dever de ensinar, o aluno tem total liberdade... enfim, não é nem de longe a mesma coisa (e isso nem é um mero achismo meu). Tanto não é a mesma coisa que os níveis têm funções diferentes.

    ResponderExcluir
  17. OK. Admito. Só polemizei pra este post bombar mais q o da Tessalia.

    ResponderExcluir
  18. Melhor fazermos isso numa mesa de bar, não? :P

    ResponderExcluir