sexta-feira, 25 de setembro de 2009

FEICA 1/3

Fui à feira da cachaça e preciso confessar que o evento foi bem melhor do que eu esperava.

Quase não fui. Tinha acabado de almoçar e bateu aquele sono... Mas venci a preguiça e fui pra lá. Acreditem vocês ou não, essa diligência foi quase toda pra poder postar aqui no blog depois.

Se não me engano, estava programado para começar às 14 horas, mas eu cheguei lá às 16:20. Paguei 15 dinheiros e ganhei um crachá de convidado, uma caneta, uma pasta, um bloco e uma cópia meio amassada com umas informações que não me interessaram muito. Ainda consegui pegar uma boa parte da primeira palestra, que durou até umas 17h. A representante do Ministério da Agricultura falou basicamente sobre a importância da atuação deles junto aos pequenos produtores no intuito de ajudá-los a sair da informalidade. A segunda palestra foi com um carinha do Inmetro falando sobre os critérios e a importância da aplicação do selo de qualidade para as cachaças em âmbito nacional e internacional. A terceira palestra eu perdi quase toda por causa de um infeliz que demorou a me trazer o caldinho de feijão.

No intervalo eu fui pro andar de cima e encontrei vários estandes. Não estava lotado, mas também não era um evento fantasma. Todos eles (ou quase todos) davam amostras grátis. Algumas muito boas. Depois eu tento citar algumas aqui. Algumas atendentes eram bem gostosinhas, e o mais divertido foi conhecer a confraria da cachaça: um grupo de amadores (no sentido daqueles que amam) que se reúne para degustar e debater cachaça de alambique. Divulgarei melhor no futuro.

Quase comprei uma camisa, mas o modelo que eu mais gostei só tinha restado na versão feminina, e eu não ia sair por aí com uma baby look escrito "sou brasileira / bebo cachaça". Se alguma fêmea quiser, manifeste-se agora. 20 pratas.

Achei muito triste que a maior parte dos consumidores dali estava satisfeita com essa condição. Poucos compareceram à palestra para aprender sobre outras coisas além do gosto das cachaças. Aliás, aposto que mesmo alguns dos que provaram todas estavam ali apenas para ter contato e não para ter intimidade. E tinha alguns curiosos lá que se revelaram verdadeiros pentelhos. Falavam na palestra como se estivessem em uma mesa com o melhor amigo ou faziam questão de exibir em voz bem alta seus parcos conhecimentos sobre assuntos que, às vezes, nada tinham a ver com a cachaça.

A divulgação ruim antes do evento, ela não melhorou durante o mesmo. Até agora, não sei a programação dos próximos dois dias.

O ponto positivo foi o seguinte... Cheguei lá achando que pagaria 10 reais por palestra, preço que vi no site da segunda edição do evento. Quando cheguei, me disseram que seria 15 reais. Fiquei triste, mas aceitei. Perguntei se tinha meia e me disseram que não. Durante a primeira palestra, comecei a pensar que talvez eu tivesse pago 15 reais por apenas uma da palestra. Já pensou? 45 reais por dia, 135 reais no total. Acabou a primeira palestra, vi os estandes e voltei pra segunda palestra. Beleza, não precisava pagar por cada palestra. Quando acabou o evento, fui entregar meu crachá e resolvi blefar coma recepcionista: posso guardar pra usar amanhã? Para minha surpresa, a simpática moçoila disse que sim! Que eu poderia usar nos dois outros dias ou dar para quem eu quisesse! Moral da história: 15 reais pelos três dias! Cinco reais por cada dia contendo três palestras e quantas doses de amostras grátis de cachaça meu fígado agüentar.

Saí sóbrio hoje. Veremos como será amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário