segunda-feira, 13 de abril de 2009

Fuga da realidade

Papos profundos demais pra copos tão rasos.

Infelizmente, a fidelidade do texto fica bem limitada por razões técnicas, mas juro que a solução está sendo providenciada. Enquanto isso, façam o esforço de confiar em mim.

Em algum dia da semana passada, em uma mesa de bar, um indivíduo forçou o papo pra falar algo muito profundo. Forçou mesmo, pois reclamaram dele fumar e ele resolveu falar de fetiches que tiram a pessoa da realidade, quando ele não incluiu o cigarro nessa lista.

O fato é que ele falou que a bebida faz mal, assim como o cigarro, mas não doeria tanto largar o cigarro quanto largar a bebida. Ambos são viciantes, mas a bebida traz algum benefício. Este benefício seria a fuga da realidade. "Todo mundo precisa de algo que te tire da realidade", dizia ele, "alguns usam drogas, outros usam o video-game, e eu uso a bebida". Mesmo quem sonha (dormindo ou acordado) está fugindo da realidade de alguma forma.

Eu tenho minhas respostas, mas lanço aqui apenas as perguntas... Por que fugir da realidade? Precisamos mesmo fugir dela? Ela é mesmo tudo o que temos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário